Rabelas no Douro a 21 de Setembro. Será desta?

O cais do lado de Gaia deve começar a ser construído na próxima semana e do lado do Porto a partir do dia 16.

Fotogaleria
As rabelas vão fazer a viagem entre as duas margens em três minutos Hugo Santos
Fotogaleria
As rabelas vão fazer a viagem entre as duas margens em três minutos Hugo Santos

O dia 21 de Setembro é a nova data mágica para o arranque do serviço de táxis fluviais turísticos entre as marginais do Porto e Vila Nova de Gaia. É esse o dia em que o grupo The Fladgate Partnership espera poder começar a operar as duas rabelas que, em três minutos, irão atravessar o rio Douro, pelo preço de 3 euros.

O director-geral do grupo ligado ao vinho do Porto e dono de, entre outros, o hotel Yeatman, já sorri quando aponta para 21 de Setembro a data do arranque da operação fluvial. Afinal, Adrian Bridge já teve a expectativa de ter as duas embarcações a funcionar antes da Páscoa, depois no início do Verão, e agora a esperança está no início do Outono. Ultrapassado todo o processo burocrático, falta construir os dois cais que receberão as rabelas – no Cais das Pedras, do lado do Porto, em frente ao Clube Fluvial Portuense, em Gaia.

Este último cais, que irá “duplicar em tamanho e profundidade” o local de acostagem que já lá existe, deverá começar a ser construído “já na próxima semana”, explicou Adrian Bridge, durante um passeio experimental de uma das rabelas. Do lado do Porto, só existe autorização para que a instalação do cais comece a 16 de Setembro – uma questão relacionada com o caudal do Douro, segundo explicou o director-geral. Entretanto, deverá chegar a segunda embarcação, que está agora “em fase final de testes”, diz Adrian Bridge.

Manuel Alves, responsável por esta primeira operação fluvial do grupo, explica que as duas rabelas irão cruzar o Douro entre as 9h e as 20h (com eventuais ajustes) e que a frequência irá depender da procura. Contudo, garante: “Pelo menos de 15 em 15 minutos irá haver uma travessia, mesmo sem passageiros”. A capacidade de cada uma das embarcações é de 28 passageiros e a expectativa do grupo é que elas possam transportar 230 mil pessoas por ano. Turistas, assume Adrian Bridge, consciente que o preço de três euros por trajecto não será apelativo para transformar as rabelas em táxi de uso comum por moradores.

O arranque da operação destes táxis fluviais é apenas mais um dos investimentos que o The Fladgate Partnership está a realizar no Porto, em Gaia e também na região protegida do Douro. No Porto, o Hotel Infante Sagres, adquirido pelo grupo, vai ser completamente remodelado, num investimento na ordem dos cinco milhões de euros. No Pinhão, a outra unidade hoteleira do grupo, o The Vintage House, já foi intervencionado e deverá receber novos atractivos com o projecto alargado previsto para a marginal da vila duriense. Em Gaia, o The Yeatman vai ganhar 26 novos quartos, numa obra cujo arranque está previsto para Novembro.

E é em Gaia que o grupo tem o maior projecto em cima da mesa, com a transformação de uma vasta de armazéns em espaços de restauração, comércio e animação, capazes de atrair turistas fora da chamada época alta e incentivando-os a aumentar o tempo de permanência na zona do Porto. Adrian Bridge espera que estas obras possam começar no próximo ano e estar concluídas em 2020. “Em dez anos esta zona pode sofrer uma transformação completa”, anima-se.