Quer ajudar os bombeiros? Eles pedem água, leite e alimentos

Água e bens alimentares não perecíveis são os principais produtos a doar às corporações de bombeiros. Toda a ajuda é bem-vinda.

Foto
A ajuda das populações é importante desde que sigam as ordens dos bombeiros e não ajam de acordo com o seu livre arbítrio. Dato Daraselia (Arquivo)

Numa altura em que Portugal vive um cenário de incêndios preocupantes, muitas pessoas querem ajudar as corporações de bombeiros mas não sabem como podem fazê-lo. O mais fácil é contribuir para o Fundo de Protecção Social do Bombeiro, mas há outras formas de ajudar.

Segundo Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), as ajudas podem chegar de inúmeras maneiras e “têm muito a ver com a imaginação das pessoas”. “Géneros alimentares, água, leite, sandes ou outro tipo de produtos que estejam cuidadosamente protegidos para que não se estraguem ao sol” — barras energéticas e outros bens não perecíveis, por exemplo — são algumas das sugestões que Jaime Marta Soares deixa a quem quiser fazer as suas doações junto das corporações locais ou da sede da LBP, para posteriormente serem distribuídos pelos locais mais críticos.

Outra sugestão passa pela recolha de fundos que seriam depois entregues ao fundo de protecção social do bombeiro, que, segundo o presidente da LBP, “existe para todas as situações complexas e difíceis por que os bombeiros possam passar”. Segundo Jaime Marta Soares, contribuir desta forma “é a mesma coisa que estar a contribuir para o imediato”.

Mais difícil, embora também possível, será utilizar os fundos recolhidos para comprar fatos de protecção individual para bombeiros, que é “efectivamente uma necessidade que todos os bombeiros têm”: é que, por norma, devem ser comprados cinco equipamentos para os cinco operacionais que compõe cada equipa de combate a incêndios florestais e é preciso saber as medidas de todos os elementos, o que não é fácil. De qualquer modo, Jaime Marta Soares refere que todas as ajudas “são sempre importantes e nós agradecemos muito”.

Relativamente aos conselhos direccionados para as populações em risco, o presidente da Liga dos Bombeiros diz que as pessoas devem proteger-se com tempo, limpando todas as espécies arbóreas e herbáceas que estão junto às casas, e ainda manter toda a zona limpa num perímetro entre 20 e 50 metros.

“Protegerem-se com mangueiras de água, para quando houver uma situação de uma propagação de incêndio para a zona das habitações”, é outro dos conselhos deixados por Jaime Marta Soares, que deixa ainda um último pedido às populações para que sigam as ordens dos bombeiros e não ajam de acordo com o seu livre arbítrio.

Texto editado por Tiago Luz Pedro

Sugerir correcção