Cate Blanchett X 13

O artista alemão Julian Rosefeldt leva a Nova Iorque a sua instalação-vídeo com a actriz australiana transformada em professora, operário ou sem-abrigo.

Cate Blanchett como sem-abrigo
Fotogaleria
Cate Blanchett como sem-abrigo DR
Fotogaleria

Para criar a instalação-vídeo Manifesto, o artista alemão Julian Rosefeldt pegou na actriz australiana Cate Blanchett, autêntico camaleão, e levou-a a interpretar 13 textos por ele escritos a partir de cerca de 60 originais de artistas, arquitectos, filósofos e realizadores dos séculos XIX e XX. Depois escolheu uma série de cenários contemporâneos e filmou estes monólogos que vão buscar influências tão diversas como o Manifesto Comunista (1948), de Karl Marx e Friedrich Engels, e as Golden Rules of Filmaking (2004), do cineasta Jim Jarmusch. Julian Rosefeldt queria fazer uma peça politicamente pertinente que tivesse um enquadramento artístico e com uma mulher a desempenhar múltiplos papéis.

O artista vê este Manifesto, que será instalado no grande hall do Armory Show, em Nova Iorque, de 7 de Dezembro a 8 de Janeiro de 2017, como “uma série de episódios que podem ser vistos separadamente ou de seguida, como um coro de diferentes vozes”.

Neste monólogos, Blanchett será uma pivôt de telejornal, uma professora, um operário fabril, um sem-abrigo. Será a voz de futuristas, surrealistas e dadaístas, de artistas e outros criadores como Sol LeWitt, Yvonne Rainer, Kazimir Malevich, Claes Oldenburg, Lars von Trier ou Wassily Kandinsky.

Quando esta instalação em múltiplos ecrãs foi mostrada pela primeira vez, em Dezembro de 2015, na Austrália, muitos foram os que celebraram o encontro da actriz com o artista alemão. A ela elogiaram-lhe, sobretudo, a capacidade para interpretar, com o mesmo empenho e profundidade, cada um dos papéis, independentemente do seu género, nacionalidade ou classe social. A ele o talento para a descontextualização, para transformar as ambições e o valor poético dos textos originais, alguns com mais de 100 anos, em algo que o público de hoje pode reconhecer sem esforço.