Por dois pontos, João Costa falhou final do tiro

Português terminou em 11.º lugar a prova de pistola de ar a 10m, nos Jogos do Rio 2016.

Foto
DR

A participação de João Costa nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro começou com um 11.º lugar na prova de pistola de ar comprimido a 10 metros. O atirador português somou 578 pontos na qualificação, a apenas dois dos oito primeiros lugares, que dão acesso à luta pelas medalhas.

“Ficar a dois pontos do apuramento é quase como ser finalista. Para mim é o mínimo”, afirmou João Costa após o final da prova. Somos humanos, não somos nenhuns robôs ou máquinas. Fazemos o que conseguimos e também falhamos. Somos mesmo assim, não somos perfeitos”, acrescentou o atirador. Há quatro anos, em Londres, João Costa chegou à final desta prova, tendo ficado em sétimo lugar.

No Centro Olímpico de Tiro, na zona de Deodoro, a prova de João Costa até começou bem, com o atleta português a somar 98 pontos (num total de 100) com os primeiros dez tiros. Com 97 pontos na segunda série de disparos, o atirador nacional mantinha-se nas posições cimeiras. A terceira e quarta séries renderam 96 pontos a João Costa, mas a penúltima ronda de tiros praticamente arredou o português da luta pela presença na final: os 94 pontos somados fizeram com que o atirador perdesse posições na classificação. Com 97 pontos na última série, João Costa – que até foi o primeiro a efectuar os 60 disparos da qualificação – já não conseguiu chegar às posições de entrada na final.

O atirador de 51 anos ainda voltará a competir no Rio 2016, na prova de pistola a 50 metros. Mas, em declarações aos jornalistas, não quis falar de expectativas para a competição marcada para quarta-feira.