Laboratório ou restaurante? Aqui a comida vem de uma impressora 3D

É o primeiro espaço a servir exclusivamente pratos confeccionados a partir de uma impressora 3D. Depois de uma passagem por Venlo, na Holanda, restaurante chegou a Londres. Segue depois para outras capitais

Imagine um restaurante onde a comida sai de uma impressora. Estranho? Talvez. Mas já é uma realidade. Localizado em Londres, Food Ink é o primeiro espaço a servir exclusivamente pratos feitos com recurso à técnica de impressão em três dimensões. A experiência tinha sido iniciada em Julho em Venlo, na Holanda, com um restaurante "pop-up". Aqui, toda a comida é confeccionada a partir de uma projecção no computador, sendo depois impressa ou cozida em 3D.

Uma das outras particularidades do conceito desta "comida imprimida" é que todo o processo acontece em frente aos clientes. No site, a empresa conta que até os próprios talheres e mobília do restaurante foram construídos através de máquinas de impressão 3D.

Os ingredientes chegam em tubos e assumem depois diferentes formas, através de camadas, uma vez que a impressora só consegue produzir sob a forma de uma pasta. Caviar de azeite, sobremesas de chocolate, biscoitos, ou hómus, são várias as opções de escolha no menú.

PÚBLICO -
Foto
Os clientes podem assistir a todo o processo de criação DR

Na página da empresa, a Food Ink destaca que pretende servir como "plataforma para uma conversa pública sobre as tecnologias emergentes que estão constantemente a desafiar e a transformar a forma como comemos, criamos, partilhamos e vivemos".

PÚBLICO -
Foto
Caviar de azeitonas verdes gordal DR

Aqui a equipa da "cozinha" é composta não só por chefs e cozinheiros, mas por arquitectos, engenheiros, designers, artistas e "inventores e entusiastas de indústria e tecnologia", afirma a empresa fundada por Antony Dobrzensky e Marcio Barradas.

Em Londres, a experiência ofereceu nove pratos diferentes e custou cerca de 300 euros. Depois da capital inglesa, o restaurante vai fazer uma digressão e passar por cidades como Berlim, Dubai, Seul, Roma, Tel Aviv, Barcelona, Paris, Amsterdão, Toronto, Nova Iorque, Las Vegas, Tóquio, Singapura e Los Angeles, mas ainda não são conhecidas as datas.

Segundo alguns especialistas citados pelo Le Monde, há quem acredite que a impressão de comida em três dimensões poderá ser uma das soluções no combate às crises alimentares e fome.