Pottermania, de Nova Iorque a Singapura (com passagem pelo Porto)

Lançamento do oitavo volume da saga escrita por JK Rowling mostra que o mundo de Harry Potter ainda continua a encantar milhares de pessoas em todo o mundo.

Fotogaleria
Fran Plagge foi a primeira compradora do livro na Waterstones, em Picadilly, Londres AFP PHOTO / Daniel Leal-Olivas
Fotogaleria
As fãs britânicas na livraria londrina AFP PHOTO / Daniel Leal-Olivas
Fotogaleria
Uma mãe e uma filha em pose para a fotografia, em Hong Kong AFP PHOTO / Anthony WALLACE
Fotogaleria
Patrícia Camarada, a fã portuguesa, a primeira a comprar na Livraria Lello, no Porto AFP PHOTO / MIGUEL RIOPA
Fotogaleria
Crianças na fila da livraria Waterstones, em Londres AFP PHOTO / Daniel Leal-Olivas
Fotogaleria
Na Tailândia também se esperou para comprar o novo livro AFP PHOTO / LILLIAN SUWANRUMPHA
Fotogaleria
A corrida aos livros em Singapura AFP PHOTO / ROSLAN RAHMAN
Fotogaleria
A autora JK Rowling na estreia da peça que deu nome ao livro REUTERS/Neil Hall

Foi como se, por algum passe de mágica, o tempo nunca tivesse passado, e a saga Harry Potter, afinal, não tivesse tido um fim. De sábado para domingo, à meia-noite (ou outras horas, consoante o fuso horário), livrarias em todo o mundo abriram as portas para receberam os entusiasmados fãs do universo mágico criado pela escritora britânica JK Rowling. Bruxas e feiticeiros, corujas e vassouras receberam Harry Potter and the Cursed Child, o livro que nasceu como uma peça de teatro e que está a ter excelentes críticas em Londres.

No Reino Unido, a cadeia Waterstones abriu as portas de 140 das suas livrarias a festas relacionadas com o lançamento do livro, agendado para a meia-noite. Em Picadilly, na capital inglesa, cerca de 700 pessoas devidamente mascaradas esperaram pela oportunidade de terem nas mãos alguns dos primeiros exemplares da obra que, afinal, mostra que Harry Potter não acabou com o sétimo livro da saga, lançado em 2007 – Harry Potter e os Talismãs da Morte. Um porta-voz da livraria, citado pela BBC, disse que as expectativas de venda são as melhores. “As encomendas excederam os seis dígitos – número que não víamos desde o último livro de Harry Potter. Estamos a contar que este será o nosso bestseller do ano”.

Em Nova Iorque, Kate D’Auria, de 24 anos, foi a primeira a sair da Barnes & Noble, em Union Square, com um exemplar do novo livro nas mãos. Tinha esperado seis horas na fila e prometia ainda ficar acordada “toda a noite” para ler a obra.

Do outro lado do globo, em Singapura, eram 7h01 quando a livraria Kinokuniy abriu as portas, em Singapura. Samantha Chua, uma estudante de 24 anos, levava Harry Potter estampado na t-shirt e foi a primeira a comprar o mais recente volume da saga, entre os cerca de 300 fãs que se apresentaram no centro comercial para receber o seu volume. Ouvida pela AFP, a jovem disse que a espera, desde as cinco da madrugada, tinha valido a pena. “Cresci a ler os livros e eles têm um lugar especial na minha biblioteca, mas este será a minha jóia da coroa”.

Também em Banguecoque, cerca de 40 fãs aguardaram pela oportunidade de estarem entre os primeiros do mundo a ter nas mãos o novo livro da saga que já vendeu mais de 450 milhões de exemplares em todo o mundo. Sanpipat Huangsawat, de 29 anos, esperou 11 horas junto à livraria para poder ser a primeira a ter o mais recente Potter. “Estou muito animada e é maravilhoso ser a primeira a possuir o livro na Tailândia”, disse à AFP.

Em Portugal, o lançamento do livro decorreu na Livraria Lello, no Porto, que tinha seis mil exemplares disponíveis para as centenas de fãs que se apresentaram, à meia-noite, para comprar o livro. Para já, a obra está a ser vendida apenas em inglês, não havendo, por enquanto, data para o lançamento da versão portuguesa.