Estão abertas as candidaturas para os municípios que queiram ser a Terra de Culinária 2017

As candidaturas estão abertas até 15 de Setembro. O vencedor é anunciado no primeiro fim de semana de Outubro.

Oliveira de Azeméis foi Terra de Culinária 2015 pelo pão e a regueifa de Ul
Foto
Oliveira de Azeméis foi Terra de Culinária 2015 pelo pão e a regueifa de Ul. Nelson Garrido

Se cidades, ruas, monumentos e outros elementos são preservados, porque não também salvaguardar a gastronomia local? Este é o pressuposto da iniciativa lançada pela Associação Portuguesa de Turismo de Culinária e Economia (APTECE), o Turismo de Portugal e a Direcção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DGARD) com o mote 'Cá se fazem, Cá se pagam'. Terra de Culinária realiza-se pelo terceiro ano consecutivo e as candidaturas já estão abertas. Até 15 de Setembro, os municípios devem enviar um plano de actividades concertado com agentes locais, como autarquias, confrarias, restaurantes, hotéis, produtores e agentes de promoção cultural e entretenimento.

“Cada lugar tem algo único, que pode e deve ser distinguido para maior e melhor reconhecimento de todos”, pode ler-se no comunicado da APTCE. Para tal, pretende-se incentivar o dinamismo da região, envolvendo agentes económicos e de promoção turística e cultural locais, para que se recupere, promova e divulgue o património gastronómico nacional.

Mas há objectivos concretos na iniciativa. Tudo começa com a consciencialização de agentes locais para a preservação da oferta gastronómica local. Depois, a gastronomia tem de ser convertida num elemento diferenciador da oferta turística e as indústrias de produtos típicos locais têm de ser valorizadas, assim como o incentivo ao consumo dos produtos regionais, tradicionais e qualificados. Sendo assim, o município escolhido como Terra de Culinária 2017 é aquele que contribui com maior dinamismo na promoção das tradições gastronómicas. Para isso, tem de defender o receituário “genuíno" dos valores tradicionais locais e promover a aplicação actual e futura dessas receitas.

De acordo com o regulamento da iniciativa, o candidato deve apresentar um programa em que a maioria dos agentes pertença à cadeia culinária tradicional. Deste modo, os agentes terão de ser testemunhos do desenvolvimento e "excepcionalidade" da tradição gastronómica do candidato na região.

Em comunicado, a APTECE refere o aumento de número de municípios candidatos, no último ano, como um sinal da importância do reconhecimento dado pela iniciativa. Também a promoção do dinamismo local destinado ao mercado nacional e internacional e o incentivo ao turismo e estímulo à relação com o mundo rural são apontados como pilares de sucesso da Terra de Culinária. 

Oliveira de Azeméis e Monchique foram os municípios contemplados nos anos de 2015 e 2016, respectivamente. O vencedor da Terra de Culinária 2017 será anunciado durante o 3.º Congresso Nacional de Turismo e Culinária, entre 7 e 9 de Outubro, em Oliveira de Azeméis. O júri é composto por elementos da APTECE, do Turismo de Portugal, da DGARD e por dois convidados ligados à gastronomia.