Presidente do Eurogrupo “desapontado” com recomendação da Comissão

Dijsselbloem estava à espera que a conclusão de que Portugal e Espanha não tomaram uma acção efectiva tivesse consequências.

Foto
Dijsselbloem diz que vai discutir o tema com parceiros do Eurogrupo

O presidente do Eurogrupo mostrou esta quarta-feira estar desiludido com a decisão da Comissão Europeia de recomendar o cancelamento da aplicação de multas a Portugal e Espanha.

Num comunicado citado pela agência Reuters, Jeroen Dijsselbloem afirmou “ser desapontante que não haja uma sequência para a conclusão de que Espanha e Portugal não tomaram uma acção efectiva para consolidar os seus orçamentos”.

O presidente do grupo que reúne os ministros das Finanças da zona euro afirmou ainda que “tem de ser claro que, apesar de todos os esforços já adoptados, Espanha e Portugal estão ainda em perigo”.

A recomendação da Comissão de não aplicação de multas a Portugal e Espanha é precisamente dirigida ao conselho, composto pelos governos dos vários países da UE. Num cenário considerado pouco provável, caso uma maioria qualificada do conselho não concordasse com a recomendação da Comissão, a decisão poderia ser alterada.

Jeroen Dijsselbloem disse ainda, de acordo com a Reuters, que iria esperar que a Comissão clarificasse a sua decisão e, depois, discutir o tema com os outros países da zona euro.