Aeroporto da Madeira vai chamar-se “Cristiano Ronaldo”

Governo madeirense decidiu homenagear futebolista, que abriu na região a primeira unidade hoteleira com o seu nome: Pestana CR7 Funchal.

Depois do museu, o aeroporto, um hotel e uma praça: a Madeira não se cansa de homenagear Ronaldo
Foto
Depois do museu, o aeroporto, um hotel e uma praça: a Madeira não se cansa de homenagear Ronaldo Adriano Miranda (arquivo)

O Aeroporto da Madeira vai passar a chamar-se Cristiano Ronaldo. O anúncio foi feito nesta sexta-feira pelo presidente do governo madeirense, durante a abertura oficial do Hotel Pestana CR7, no Funchal.

Por vezes, disse Miguel Albuquerque, a gratidão nacional não tem memória, mas a Madeira tem. Por isso, continuou, o conselho de governo do arquipélago decidiu quinta-feira alterar a denominação da principal porta de entrada da região, que passa de Aeroporto Internacional da Madeira para Aeroporto Cristiano Ronaldo.

“Não é favor nenhum”, garantiu Albuquerque, dizendo que a homenagem reflecte os bons serviços prestados pelo futebolista à Madeira.

Antes, Ronaldo, depois de ter dobrado e guardado o discurso que trazia escrito, falou do “coração” como, disse, sempre faz. Agradeceu à família e aos amigos — “a minha verdadeira equipa” —, falou do prazer de estar ali e confessou algum desconforto neste papel de empresário hoteleiro. “Nunca pensei que aos 31 anos ia ser hoteleiro, ainda não me vejo assim”, admitiu, dizendo que o “pontapé de saída” desta nova carreira não podia ser noutro local que não no Funchal.

Mas aqui, como nos relvados, a “identidade” de Ronaldo é sempre a mesma: querer ganhar, sempre. “Espero que o hotel, não só este, mas também todos os outros, esteja sempre cheio”, concluiu o internacional português.

O Pestana CR7 Madeira é a primeira unidade da parceria entre o jogador do Real Madrid e o Grupo Pestana, que, num investimento global de 75 milhões de euros, pretende abrir numa primeira fase quatro hotéis. O próximo é em Lisboa, seguindo-se Madrid e Nova Iorque. 

“Muito obrigado por acreditarem e investirem em Portugal. Muito obrigado por mostrarem Portugal ao mundo”, agradeceu a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, falando para Ronaldo e Dionísio Pestana, o chairman do grupo hoteleiro, que conta com 87 unidades e emprega perto de sete mil colaboradores.

A ligação entre dois madeirenses atravessou os discursos oficiais, enquanto lá fora uma multidão de portugueses e turistas aguardava o momento para ver a estrela da selecção nacional. “Este hotel reúne as duas melhores marcas que Portugal tem: Pestana e Cristiano Ronaldo”, sintetizou o autarca local, Paulo Cafôfo, enquanto o responsável pelo grupo hoteleiro, o maior do país e um dos mais importantes da Europa, elogiava o carácter do novo sócio que é uma “forte inspiração” para tantas pessoas. “O que nos une é a paixão de fazer projectos vencedores”, vincou Dionísio Pestana.

Além do aeroporto, cuja cerimónia oficial de “baptismo” será calendarizada de acordo com os compromissos do jogador, Cristiano Ronaldo ganhou também uma praça, junto ao hotel e ao museu que reúne os principais troféus.

A nova unidade, localizada junto ao porto da capital madeirense, é composta por 49 quartos: 25 simples, 23 superiores e uma suite. Direccionado para a geração millennials — as pessoas nascidas entre 1980 e 2000, que privilegiam as comunicações digitais —, o hotel aposta em Internet de banda larga e oferece Apple TV, SmartTV, screen mirroring para dispositivos Apple e Android, bluetooth e até carregadores USB duplos na cabeceira das camas.

O Pestana CR7 conta também com uma piscina no terraço, uma sauna no exterior e um ginásio ao ar livre, com um programa de treino preparado pelo futebolista.