DR
Foto
DR

Josefinas: as sabrinas portuguesas chegaram a Nova Iorque

É a primeira marca nacional liderada por mulheres a abrir uma loja em Nova Iorque. As Josefinas, diz Sofia Oliveira, "estão aqui para ficar"

A marca portuguesa de calçado Josefinas abriu oficialmente esta quinta-feira a sua primeira loja, em Nova Iorque, continuando um ano de expansão que começou em Janeiro com um crescimento de 200% em relação ao mesmo mês do ano passado.

"A partir de 2014, começámos a perceber que queríamos um espaço que as pessoas pudessem visitar, experimentar os nossos sapatos e entrar no universo Josefinas. Na altura, decidimos que seria em Nova Iorque. Porque não?", disse Sofia Oliveira à Lusa. Desde essa altura que as três sócias, Filipa Júlio, Maria Cunha e Sofia Oliveira, têm no seu escritório em Vila Nova de Gaia uma placa que anuncia a abertura da loja na cidade dos EUA em 2016.

Apesar de a empresa não revelar valores da facturação, a responsável diz que a marca cresceu em Janeiro "200% face ao período homólogo" e que "prevê uma taxa de crescimento para o resto do ano muito positiva." Os Estados Unidos são o principal mercado da marca, com cerca de 35% das vendas. Segue-se a Europa, com Reino Unido e Portugal em lugar de destaque. Recentemente, as vendas têm crescido em mercados como Singapura, Hong Kong e Austrália.

PÚBLICO -
Foto

Orgulho em Portugal

PÚBLICO -
Foto

A loja fica no número 252 da Elizabeth Street, na "downtown" de Nova Iorque, em Nolita, junto ao SoHo, onde muitas outras marcas conhecidas se concentram. Segundo Sofia, "é o lugar ideal para uma marca de luxo se assumir e estabelecer". O espaço foi o primeiro que as fundadoras visitaram no início do ano. Logo depois contrataram o arquitecto Christian Lahoud, que já trabalhou com marcas como a Tiffany's, Guccy e Jimmy Choo. O resultado é um espaço feminino, em tons rosa e pastel, com objectos criados pelo artesão português Jorge Direito, que recriou em cobre ramos e árvores reais que decoram o espaço.

PÚBLICO -
Foto

"Estamos muito contentes. É um espaço especial, elegante, a materialização da marca. Vamos poder acolher as nossas clientes e mostrar um pouco mais daquilo que é as Josefinas", diz Sofia Oliveira. No símbolo que anuncia a loja na rua, logo abaixo do nome da marca, está escrito Portugal. "Não usamos o nome Portugal porque achamos ser um trunfo, mas porque temos verdadeiramente orgulho e achamos que representa um conjunto de valores que estão associados à nossa marca", explica.


@josefinasportugal/Instagram

"Estão aqui para ficar"

Os valores do investimento não são revelados, mas a abertura surge na sequência da ronda de investimento levantada da Portugal Ventures em Novembro de 2015, financiamento destinado à internacionalização da marca e que pode chegar aos 1,5 milhões de euros. A loja abriu a 100% esta quinta-feira, mas na sexta-feira passada acolheu um evento privado em que recebeu membros da imprensa especializada e algumas clientes especiais, como as bloggers Garance Doré ou Patricia Chang. A marca, que ficou conhecida pelas suas sabrinas feitas em S. João da Madeira, lança novos modelos todos os meses e tem neste momento cerca de 50 modelos.

Em cerca de três anos, conseguiu destaque nas principais revistas de moda, como a Vogue, a W ou a Elle, e nos maiores blogues internacionais, como o Blonde Salad ou Man Repeller. "Temos uma história especial e, ao longo dos anos, fomos inspirando outras mulheres a fazer o mesmo. Queremos que as nossas clientes sintam que fazem parte desta história e que podem conquistar o mundo", diz Sofia. A Josefinas, que não tem planos para estabelecimento em Portugal, torna-se assim a primeira marca nacional liderada por mulheres a abrir uma loja na cidade de Nova Iorque. Sofia Oliveira diz que "é a forma perfeita de dizer que as Josefinas estão aqui para ficar".

Sugerir correcção