P3
Foto
P3

Quando o Pokémon Go é “arma” para salvar animais

Dois jogadores depararam-se com uma caixa com 27 animais enquanto jogavam o famoso jogo da Nintendo

O fenómeno já provocou alguns acidentes. Tanto que, em Portugal, a Polícia de Segurança Pública já elaborou um manual de segurança para quem quer jogar Pokémon Go. O conselho mais básico é não usar a aplicação sozinho: “Cace em grupo ou aos pares de forma a aumentar a segurança”, lê-se numa nota publicada no Facebook. Mas o jogo da Nintendo também pode ser um excelente notícia.

Em South Houston, nos Estados Unidos da América, dois jovens "caçaram" 27 animais abandonados enquanto jogavam. Sara Perez e Matthew Teague estavam mergulhados no jogo quando avistaram uma caixa de cartão abandonada, num parque completamente vazio. Lá dentro estavam vinte hamsters e sete ratinhos a bater-se pela vida. Sem comida, sem água. Debaixo de um forte calor. Os dois jogadores recolheram os animais, deram-lhes alimento e água fresca. Sara e Matthew entregaram depois os animais na associação Houston SPCA. Os 27 foram baptizados com nomes dos pokémons e como mostra o vídeo publicado no Facebook da asssociação estão muito bem de saúde. Estão agora à procura de uma família. 

 

PÚBLICO -
Foto
Sara Perez/ DR

Na internet, as pesquisas por "Pokemon Go" já ultrapassaram as buscas por "sexo" e até Cristiano Ronaldo foi batido pelo jogo de realidade aumentada. À Nintendo, a febre dos Pokémon já valeu uma duplicação da empresa em bolsa.