Obras no Mercado do Bolhão a partir de 1 de Agosto

Trabalhos iniciais destinam-se a desviar uma linha de água que passa sob o edifício histórico no centro da cidade do Porto

O mercado portuense aguarda há décadas por uma intervenção
Foto
O mercado portuense aguarda há décadas por uma intervenção Paulo Pimenta

Foi só uma frase, mas foi o suficiente para colocar mais um marco no processo do Mercado do Bolhão. O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, disse, na Assembleia Municipal de quinta-feira à noite, que as obras no emblemático mercado da cidade arrancam a 1 de Agosto.

O deputado Belmiro Magalhães, da CDU, questionara o autarca sobre o arranque das obras prometidas pela autarquia para o Verão. Rui Moreira fez um breve aceno de cabeça à vereadora da Mobilidade, Cristina Pimentel, como que a confirmar se podia avançar com a data, e dirigiu-se ao plenário, garantindo ao deputado comunista que se passar no Bolhão a 1 de Agosto verá lá “um grande buraco”, já que essa é a data para o arranque dos trabalhos.

Depois de a proposta de reabilitação ter sido apresentada em Abril de 2015, o Mercado do Bolhão tem continuado à espera que os trabalhos efectivamente comecem. Do lado do município, ia-se explicando que se ultimavam pormenores no projecto, até que em Fevereiro foi lançado o concurso para os trabalhos prévios à requalificação do mercado e que passam pelo desvio de uma linha de água sob o edifício classificado.

É por aí que os trabalhos vão começar, numa intervenção que não obriga, por enquanto, à saída dos comerciantes. Esta empreitada foi orçada em 875 mil euros e irá desviar a linha de água que ali passa para a Rua Sá da Bandeira, abrindo caminho a que seja posteriormente edificado um novo túnel, sob a Rua de Alexandre Braga, que irá dar acesso à cave técnica prevista para o novo mercado.

Quanto ao concurso da empreitada de reabilitação do mercado, Rui Moreira comprometera-se a lançá-lo até Abril, mas tal não aconteceu. Só quando avançarem as obras no edifício é que os comerciantes terão que abandonar o local, sendo transferidos para o quarteirão da antiga Casa Forte, nas imediações do Bolhão.