Activista salvou mil animais do festival de carne de cão na China

Marc Ching, fundador da associação Animal Hope and Wellness Foundation, salvou mil cães do polémico Festival de Carne do Cão da China

É um conhecido activista dos direitos dos animais nos Estados Unidos da América, mas a acção dele não tem fronteiras. Desta vez, Marc Ching viajou até Yulin, na China. Com a namorada como parceira, conseguiu salvar mil cães do Festival de Carne de Cão daquele país, um polémico evento que acontece todos os anos.

Num vídeo partilhado na página da Animal Hope and Wellness Foundation, associação por ele criada, Marc Ching mostrou um dos momentos do resgate, com imagens chocantes onde se vê as condições em que os animais são mantidos. O casal fez-se passar por comprador no festival e conseguiu resgatar os animais, que foram transportados para os Estados Unidos e procuram agora famílias adoptivas.

Segundo a Mashable, são mortos dez mil cães durante os dez dias do Festival de Carne da China, um evento onde se celebra o solstício de Verão. Em Yulin, os habitantes mantêm desde 1995 os hábitos de consumo de carne de cão nesta altura do ano, apesar da forte crítica internacional. Por ano, estima-se que 10 a 20 milhões de caninos sejam abatidos para esse mesmo fim.

Em todas as edições, os activistas tentam parar o evento e dirigem-se ao local: alguns, como Marc Ching, optam por comprar os animais para os salvar, outros tentam dissuadir os vendedores. Em 2015, mais de um milhão de pessoas assinaram uma petição online que pedia o cancelamento do festival. O efeito foi nulo. Neste ano, apesar dos protestos, o mesmo aconteceu.

"Todos os anos, várias pessoas protestam mas nunca acontece nada", lamentou Marc Ching num texto escrito na página do Facebook. Ching garante que os animais são torturados, desmembrados, queimados vivos, electrocutados e crucificados. Por uma crença de que se os bichos estiverem com níveis elevados de adrenalina a carne se torna mais macia, são sujeitos a um sofrimento prolongado, algumas vezes até 40 horas.

O governo local de Yulin diz não apoiar o Festival de Carne da China mas não intervém, alegando tratar-se de uma iniciativa popular e de não existir qualquer ilegalidade no consumo de carne canina na China. Marc tem feito várias viagens à Ásia com o objectivo de terminar com estas "práticas brutais" que estão disseminadas por várias países — a esse popósito foi lançada a campanha Compassion Project, cujo vídeo, que está a correr o mundo, mostra caras tão conhecidas como Matt Damon e Joaquin Phoenix a apelar ao fim da tortura.

Sugerir correcção