O referendo que nenhum partido quer

Partidos não perceberam muito bem a intenção do BE, mas todos recusam referendo nesta altura.

Foto
Passos Coelho diz que não a referendo que ainda por cima seja para "guerrilha política" Miguel Manso

O que é o referendo proposto pelo BE? Nenhum partido percebeu muito bem a intenção dos bloquistas, mas nenhum concorda com um referendo sobre a Europa (seja sobre o que for) nesta altura. E da direita à esquerda houve quem falasse em "chantagem" à União Europeia numa altura em que deve ser mostrada união.

"Não é correcto instrumentalizar os portugueses num quadro de alguma guerrilha política com a União Europeia por causa de sanções. É nesses termos que leio essa proposta", disse aos jornalistas Passos Coelho, depois da reunião com o primeiro-ministro sobre o Conselho Europeu desta semana, que terá o “Brexit” em cima da mesa para discussão

Desta vez os partidos estavam todos na mesma lógica e até acertados com a posição do Governo. "Não estamos em momentos de referendos. O que há que evitar é uma febre referendária", acabou por sintetizar a secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Margarida Marques.

A primeira a falar sobre o assunto foi Assunção Cristas que recusou dar apoio a um referendo em Portugal, respondendo a uma interpretação das palavras de Catarina Martins na convenção do BE.

“Não há nada para referendar”, disse a líder do CDS aos jornalistas no final da reunião com o primeiro-ministro António Costa sobre o Conselho Europeu desta semana . A centrista ainda acrescentou que a posição do BE tem sido a defendida lá fora “por forças mais extremas quer de direita quer de esquerda”.

Mas a recusa passou também pela esquerda. Se o PCP decidiu não falar depois dos encontros com Costa, os Verdes saíram do encontro com o primeiro-ministro e disseram que não perceberam bem sobre o que é o referendo do Bloco de Esquerda, mas têm como posição de princípio que “o instrumento do referendo é uma coisa demasiado séria para ser entendido como forma de chantagem”, disse a deputada do PEV, Heloísa Apolónia.

Para a deputada do PEV a proposta do BE não foi clara: “O referendo incidiria sobre o quê? Proposta muito abstracta, não foi explicada ao país. Temos dúvidas sobre a forma como ela foi colocada”, defendeu.

Também o PAN não concorda com um referendo: "A opção por um referendo não vai resolver em nada os problemas que estão a afastar Portugal da Europa", disse o deputado André Silva. "Não se coloca a questão do referendo. Mas coloca se uma auditoria à nossa dívida", defendeu.

Nota: Artigo actualizado às 20h00 com a posição de todos os partidos.

Sugerir correcção