Exame de Latim só para 40 alunos

Das 20 provas nacionais, Latim é a que teve menos alunos a realizá-las

Das 20 provas nacionais, Latim é a que teve menos alunos a realizá-las. Inscreveram-se 47 alunos, compareceram 40. Seguem-se História B (um exame que pode ser feito pelos alunos de Ciências Socioeconómicas), que foi realizado por 897 alunos, Alemão (1113), que praticamente empara com Francês (1396), Literatura Portuguesa (2565) e Matemática B, com 2919. Este último exame é realizado pelos alunos de Artes Visuais.

Por comparação a 2015, este ano houve mais cerca de três mil alunos inscritos nos exames nacionais. O seu número passou de 157.264 para 160.018, mas duas das provas mais concorridas, Física e Química A e Matemática A, voltaram a ter menos inscritos. Houve cerca de menos dois mil alunos candidatos ao exame de Física (o seu número passou de 50.997 para 49.010) e uma quebra de perto de 1700 no caso de Matemática A (50.695 para 48.981). Estas são as quebras mais acentuadas.

Em situação oposta estão os exames de Português, Inglês, Filosofia, História A, Geografia A e Biologia e Geologia. Em todos registou-se um aumento de inscritos. O exame de Português, que é obrigatório para todos os alunos do 12.º ano, foi realizado no passado dia 15 por 73.515 alunos, um número superior ao de 2015, quando se apresentaram a esta prova cerca de 70 mil estudantes.

Os dados relativos aos exames nacionais mostram ainda que o número de alunos que afirmam pretender candidatar-se ao ensino superior continua em queda: são agora 55% dos inscritos. Em 2013, esta percentagem estava nos 61%.