Bragança Fernandes só avança para PSD Porto depois de ouvir o partido

Deputado Paulo Rios pode não reunir os apoios que necessita para disputar a distrital, caso Bragança Fernandes convide António Tavares para a mesa da assembleia distrital

Bragança Fernandes pondera candidatar-se à distrital do Porto do PSD
Foto
Bragança Fernandes pondera candidatar-se à distrital do Porto do PSD José Carlos Coelho

Bragança Fernandes, presidente da Câmara da Maia, reúne as suas tropas no sábado a quem vai expor o seu projecto para a distrital do PSD Porto, à qual pretende candidatar-se em Julho. O debate será feito durante um almoço, que está marcado para a Estalagem da Via Norte, na Maia, um local com história para os sociais-democratas. “Estou seriamente a pensar candidatar-me à presidência da distrital do PSD, mas primeiro quero ouvir as secções, os dirigentes distritais nacionais e concelhios”, declarou Bragança Fernandes ao PÚBLICO.

A direcção da estrutura social-democrata demitiu-se na segunda-feira à noite, no decorrer da assembleia distrital do partido, depois de um grupo de militantes ter escrito uma carta a pedir a antecipação das eleições para aquele órgão devido à realização de eleições autárquicas em 2017. Ainda a assembleia distrital decorria e já o nome de Bragança Fernandes era apontado para ocupar o lugar liderado há três mandatos consecutivos por Virgílio Macedo.

“No sábado vou expor aos militantes as razões por que me vou candidatar. Quero um partido mais humanista e mais próximo das pessoas, no fundo, quero levar o PSD às secções”, afirma o autarca, puxando pela sua longa experiência de 26 anos à frente da Câmara da Maia. Ainda sem data marcada para apresentar a candidatura, o social-democrata revela que recebeu “muitas chamadas” para avançar e como está em final da sua carreira autárquica entende que deve “fazer alguma coisa” pelo partido que sempre o ajudou. Sobre os desafios que tem pela frente, nomeadamente no plano das eleições autárquicas, não os teme e responde: “Estou habituado às responsabilidades de uma câmara”.

Ao lado do candidato está o vice-presidente demissionário da distrital, Firmino Pereira, que considera que Bragança Fernandes é “alguém que é capaz de congregar" o partido. “O PSD está num momento de viragem de um ciclo político no distrito e a sua candidatura merece o meu voto de confiança para protagonizar essa viragem de ciclo político”, afirma o deputado Firmino Pereira, realçando o perfil autárquico do candidato para preparar o processo eleitoral. E porque se trata do Porto, Firmino Pereira espera que o futuro líder da distrital “apresente um projecto credível aos portuenses e que encontre uma figura competente para o liderar” para disputar as eleições com Rui Moreira.

No PSD há quem considere que por detrás do lançamento de Bragança Fernandes para a distrital está a intenção de uma candidatura à Câmara do Porto. “Seria uma forma de o promoverem”, adiantou ontem ao PÚBLICO fonte social-democrata. 

Firmino discorda desta leitura e diz que “nenhum candidato se deve apresentar a eleições se não tiver relações afectivas com a cidade a que vai a votos e Bragança Fernandes não tem ligações ao Porto. O facto de importarmos candidatos que não têm ligações às cidades não dá bom resultado. Veja-se o que se passou em 2013 com Luís Filipe Menezes. Não vamos repetir os erros”, sublinha.

“As eleições autárquicas são um momento decisivo para o PSD nacional e o partido deve mobilizar os seus melhores para disputar a presidência das câmaras municipais e há figuras que se forem convocadas como Paulo Rangel, José Pedro Aguiar-Branco e António Tavares – devem responder e ajudar”. Porquê? “Porque as eleições locais do próximo ano não decorrem num ciclo político igual àquele em que o líder do PSD [Pedro Passos Coelho] dizia: ’Que se lixem as eleições’ e por isso é que são importantes”.

As eleições para a distrital do PSD Porto estão marcadas para o dia 23 de Julho e tudo indica que Bragança Fernandes vai ter um adversário: o deputado Paulo Rios. Mas Rios pode não ter os apoios por que anseia e a sua candidatura anunciada pode cair por terra se Bragança Fernandes convidar António Tavares para presidente da mesa da assembleia distrital do PSD Porto.