Mais concertos, mais longas, mais ensaios: Curtas 2016 anuncia programa

Retrospectiva da produtora Borderline Films e novos filmes-concerto anunciados a duas semanas do arranque.

Fotogaleria
Diamond Island, de Davy Chou, será o filme de abertura dr
Fotogaleria
Simon Killer de António Campos dr

Afinal, ainda havia trunfos na manga do Curtas 2016: no programa apresentado oficialmente esta quarta-feira de manhã no Teatro Municipal de Vila do Conde, revela-se toda a extensão do 24.º ano do Festival Internacional de Curta-Metragem, a decorrer de 9 a 17 de Julho próximos. Este ano, o Curtas dá honras de abertura ao vencedor da edição 2014, Davy Chou, com Diamond Island, estreia na longa apresentada este ano na Semana da Crítica de Cannes; destaca a produção da nova-iorquina Borderline Films de António Campos, Sean Durkin e Josh Mond, com uma pequena retrospectiva e a presença de Mond a apresentar a sua primeira longa James White; dá carta branca a João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata para um programa que inclui uma série de instalações multimedia e uma escolha temática de curtas da história do cinema.

O essencial da programação competitiva já havia sido revelado a conta-gotas, com a presença de nomes reconhecidos e regulares como Anabela Moreira e João Canijo, Gabriel Abrantes, André Santos e Marco Leão, Ben Rivers, Bertrand Mandico e Nadav Lapid. E o anúncio do programa de filmes-concerto Stereo (com Jay Jay Johansson ou Legendary Tigerman entre outros) também criou burburinho, com a lotação esgotada a exigir a marcação de um concerto adicional dos Tindersticks. No interim, o Stereo surge “ampliado” para mais três sessões a decorrer no pequeno auditório do Teatro Municipal – as performances Soundscope Cinema do realizador Jorge Quintela (manipulando imagens sonorizadas ao vivo por Rui Lima e Sérgio Martins) e Wasteland de Pedro Maia com Landforms, e a exibição do “video-álbum” Three Body Problem do projecto de Pedro Tudela e Miguel Carvalhais, @c.

O destaque In Focus dado este ano à Borderline Films, uma das produtoras independentes americanas mais visíveis, integra a exibição de três das cinco longa-metragens já produzidas pela companhia – uma que teve exibição em Portugal, Martha Marcy May Marlene de Sean Durkin, e duas que ficaram restritas ao IndieLisboa, Simon Killer de António Campos e James White de Josh Mond (que estará em Vila do Conde a acompanhar ). A retrospectiva incluirá ainda a exibição de quatro curtas dos realizadores (uma das quais, Mary Last Seen de Durkin, esteve na competição em 2010) bem como um “filme-surpresa” ainda por anunciar. Quanto à Carta Branca a João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, ela ocupará a galeria de arte cinemática Solar com uma série de instalações criadas para a ocasião, bem como quatro sessões de cinema comissariadas pelos autores de A Última Vez que Vi Macau, prolongadas para uma sessão especial no encerramento do festival com a projecção do filme mudo de 1916 The Mystery of the Leaping Fish, de John Emerson e Christy Cabanne, musicado ao vivo pelo pianista Filipe Raposo.

O habitual Panorama Nacional resume-se este ano a uma única sessão, que incluirá o Urso de Ouro de Berlim Balada de um Batráquio de Leonor Teles e Ascensão, de Pedro Peralta, vindo da Semana da Crítica de Cannes, mas em contrapartida abre-se uma nova secção dedicada aos Ensaios Audiovisuais que se têm tornado uma das mais inovadoras vertentes da crítica cinematográfica moderna. Um dos pioneiros da prática, Mark Rappaport, estará em Vila do Conde e uma das três sessões do programa ser-lhe-á inteiramente dedicada. A par disto, haverá igualmente workshops e debates sobre o papel da crítica de cinema, e o já tradicional programa para crianças Curtinhas, que este ano abre com a projecção da mais recente produção da Pixar, À Procura de Dory.

Como habitualmente, os bilhetes podem ser comprados sessão a sessão (€2 a €3,50) ou em passe (€40 até 30 de Junho e €50 a partir de 1 de Julho), com os filmes-concerto à parte (preços dos €5 aos €22 consoante os programas). O programa pode já ser consultado por inteiro no site oficial www.curtas.pt.