Há um novo vídeo do activista no Campo Pequeno (e inclui uma dentada)

Holandês de 31 anos invadiu a arena para protestar contra as touradas. Foi condenado em tribunal a pagar uma multa de 250 euros.

O activista holandês Peter Janssen invadiu, na passada quinta-feira, a arena do Campo Pequeno, em Lisboa, onde terá depois sido agredido por aficionados das touradas. Entretanto, foi divulgado um novo vídeo, com melhor qualidade, da passagem do activista do Vegan Strike Group pela praça de touros lisboeta, durante a corrida de touros da Flash Vidas/Correio da Manhã.

Após ter entrado no recinto, ao exibir um cartaz e o corpo com mensagens anti-tourada, Janssen foi vaiado pelo público. Ouviu insultos e assobios e uma garrafa foi atirada na sua direcção. Em coro, vários espectadores gritaram “palhaço”, repetidas vezes. Meio minuto após ter entrada na arena, nove participantes do evento rodearam o activista para o tirarem de cena.

Enquanto era levado para a saída, Janssen foi mordido no ombro por um dos intervenientes. Ao fim de um minuto, o público aplaudiu a sua saída.

PÚBLICO -
Foto

Como já fizera noutras praças europeias, Peter Janssen aproveitou o evento para se manifestar com uma invasão pacífica em defesa dos direitos dos animais. Exigindo o fim das touradas, o activista holandês saltou para a arena, em tronco nu, exibindo no peito a mensagem "Basta de tortura" e nas costas "Respect for animals" (“Respeito pelos animais”). Após este episódio, foi alegadamente agredido por adeptos das touradas: “Ele estaria a ser empurrado e aparentemente a ser alvo de agressões por um grupo de pessoas que se encontrava ali”, confirmou na altura ao PÚBLICO o intendente Hugo Palma, da PSP.

Multa de 250 euros

Dois dias após este episódio, o Vegan Strike Group informou, na página do Facebook de Peter Janssen, que o activista chegou no sábado a casa e se encontra a recuperar. “Continua dorido e enjoado, mas é uma pessoa com grande força de espírito e em breve continuará as suas acções com mais força.”

PÚBLICO -
Foto

Na noite do incidente, Janssen foi detido pela PSP depois de a promotora do evento ter apresentado queixa por introdução em local vedado ao público. O activista, de 31 anos, foi libertado sob notificação e acompanhado pelas autoridades ao Hospital de Santa Maria, em Lisboa. O Vegan Strike Group indica, na mesma mensagem, que o holandês teve alta por volta das 5h da madrugada. No dia seguinte ao incidente, o activista compareceu em tribunal às 10h, cumprido a notificação, onde foi condenado ao pagamento de uma multa de 250 euros.

Denunciar os agressores

O Vegan Strike Group aproveitou a publicação para agradecer o apoio dado ao activista, “as mensagens, as chamadas e toda a preocupação que demonstraram”. Em nome do holandês, deixaram uma mensagem de apreço aos activistas anti-tourada portugueses que o ajudaram em Lisboa, figuras que o grupo considerou “vitais numa situação difícil como esta”.

Durante a tarde da última sexta-feira, Janssen e um grupo de activistas reuniram-se com um advogado com o intuito de apresentar queixa contra os alegados agressores. A partir dos vídeos disponibilizados na Internet, os activistas acreditam ser possível chegar à sua identidade.

Na página do Facebook do holandês, o Vegan Strike Group destaca ainda a intenção de criar uma petição para “fazer pressão social” sobre o tema e agilizar o processo de identificação dos alegados agressores.

Sugerir correcção