Foto

Crónicas da semana: da revolta no Brasil ao vídeo de José Cid

Começámos a semana com a revolta perante a notícia de uma jovem de 16 anos violada por 30 homens no Brasil, sentimos as saudades de dois irmãos que se despedem e vimos a Internet desenterrar uma entrevista de 2010. Vale a pena reler estas três crónicas

Tens o que mereces

“Tens o que mereces porque vives num raio de um mundo hipócrita que precisa que 30 homens te rebentem o corpo para que sejas notícia. Porque se tivesse sido só um, já não seria caso para isso.” Assim termina Cristina Nobre Soares uma crónica na qual expressa a revolta pelo caso que abalou o Brasil e chocou o mundo, com manifestações que chegaram a Portugal. A culpa que muitos insistem em atribuir às vítimas — e à jovem violada por 30 homens no Rio de Janeiro — é um dos aspectos abordado pela cronista. “Outras mulheres tiveram a culpa de não ensinar os filhos de que elas já tinham sido iguais às raparigas a quem eles chamavam nomes na escola. A quem eles apalpavam, humilhavam, porque eram umas fáceis.”

Adeus, Dubai!

João André Costa prepara-se para deixar a irmã no Dubai e partir para Londres, para onde regressa a pensar em casa, em Portugal. “Amanhã de manhã, quando forem nove, abraço a minha irmã pela última vez (outra vez) às portas do aeroporto para, sem olhar para trás, apartarmo-nos um do outro até que Deus queira, porque isto de fazer contas ao destino lá fora nunca foi o nosso forte, e a última vez já foi há mais de um ano.” A mãe de João e da irmã está cansada de perguntar por eles e ele não consegue dormir, contando “pelos dedos das mãos dadas” o número de vezes em que vão poder estar todos juntos outra vez. “Uma lágrima nasce-me quente e já tão cheia de saudade.”

Sete notas sobre José Cid, Nuno Markl e Trás-os-Montes

A Internet tem destas coisas e, desta vez, José Cid e Nuno Markl foram apanhados na intemporalidade de vídeos e entrevistas com... seis anos. Em 2010, o músico fez “uns comentários um tanto ou quanto alarves sobre os habitantes de uma região nortenha de um pequeno país do continente europeu chamado Portugal”. Nelson Nunes aponta sete argumentos sobre a polémica que resultou em ameaças a José Cid e ao humorista que, na altura, conduziu a entrevista no Canal Q. “É verdade que José Cid é dado a dizer disparates, de tempos a tempos, mas, caramba, o homem estava a exagerar e a fazer pouco das suas próprias alarvidades (…) Além do mais, (…) não é o Brad Pitt, portanto pode chamar feio a quem bem entender”, ironiza Nelson Nunes. “Senhores, larguem os teclados e vão apanhar ar”, pede o cronista.

Sugerir correcção