Acções do BCP voltam a cair 10%

Os títulos do banco recuaram 25% esta semana.

Foto
Pela segunda vez esta semana, a cotação do BCP perde cerca de 10% numa sessão Paulo Pimenta

O BCP desvalorizou em bolsa 10,1% nesta sexta-feira, um recuo idêntico ao que o banco registou há dois dias. A queda acentuou-se no fecho da sessão e as acções acabaram por terminar nos 0,024 euros, um novo mínimo histórico.

A semana de negociações foi penalizadora para o banco presidido por Nuno Amado, que liderou as perdas na Bolsa de Lisboa. No acumulado das cinco sessões, os títulos apresentaram uma descida de 25%.

O banco apresenta agora uma capitalização bolsista de 1416 milhões de euros, o que representa uma perda de 472 milhões de euros ao longo das cinco sessões.

A queda aconteceu numa semana em que o banco foi notícia por surgir referido no grupo dos bancos europeus mais “vulneráveis”, segundo uma análise elaborada pelo Goldman Sachs depois de serem anunciados aumentos de capital no sector bancário em Espanha e Itália.

Na quarta-feira, o sentimento nas bolsas foi negativo no sector bancário na Europa, com as acções do BCP a recuarem 10,78%. A queda aconteceu também no dia em que o Jornal de Negócios noticiou que o BCP entrou na corrida à compra do Novo Banco.

A queda expressiva na quarta-feira levou a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a proibir as vendas a descoberto dos títulos do banco durante todo o dia de quinta-feira. Na bolsa as acções voltaram a cair nesse dia, recuando 2,2%, e nesta sexta-feira a diminuição acentuou-se, repetindo-se o cenário de quarta-feira.

Sugerir correcção