Morreu o físico Tom Kibble

Investigador fez parte do grupo que formulou a existência teórica do bosão de Higgs em 1964 e que seria detectado só em 2012.

Foto
Tom Kibble DR

O físico britânico Tom Kibble, conhecido pelos seus trabalhos sobre o bosão de Higgs, morreu esta quinta-feira aos 83 anos, anunciou à agência AFP o Imperial College de Londres, onde o cientista foi professor.

O bosão de Higgs revolucionou a física de partículas, uma vez que esta partícula elementar permite explicar como é que outras partículas adquirem massa. A trabalhar com os seus colegas norte-americanos Dick Hagen e Gerry Guralnik, Sir Tom Kibble fez parte dos primeiros cientistas que, na década de 1960, se interessaram pelos elos em falta na teoria das partículas elementares.

No total, seis físicos – Peter Higgs, Robert Brout e François Englert são os restantes –, cada um inspirando-se no trabalho dos outros, publicaram no período de alguns meses, durante 1964, artigos científicos para desenvolver a teoria que formulou a existência do bosão de Higgs. E que foi confirmada em 2012, com a detecção do bosão de Higgs no grande acelerador de partículas LHC, no Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN), em Genebra, Suíça.

“Sir Tom Kibble distinguiu-se pelas suas investigações revolucionárias em física teórica e o seu trabalho contribuiu para a nossa compreensão profunda das forças fundamentais que regem a nossa natureza”, sublinhou à AFP Jerome Gauntlett, director do departamento de física teórica do Imperial College. “Recebeu numerosos prémios e reconhecimento pelo seu contributo fundamental. Ao longo de toda a sua ilustre carreira teve uma modéstia e humildade extraordinárias.”