DR
Foto
DR

Pickles, uma espécie de “gato-guia”

Gato cinzento "é um pouco como um cão-guia". Ajuda a dona em tarefas domésticas e, garante ela, antevê convulsões

Um acidente num autocarro em 1999 deixou marcas em Kim Ward. A inglesa ficou numa cadeira de rodas e passou a sofrer de convulsões com alguma frequência. Desde 2011, começou também a perder a visão. Foi mais ou menos por essa altura que decidiu começar a treinar Pickles, o seu gato cinzento, a ajudá-la nas tarefas domésticas.

A mulher de 50 anos treinou o felino para sentar, deitar e permanecer imóvel, "como se fosse um cão", contou ao jornal britânico Metro. "Quando o meu telefone toca ele vai até ele e fica ao lado. Perdi a visão periférica, mas consigo vê-lo quando tem certas superfícies atrás e de certos ângulos."

Ele foi aprendendo com muita facilidade. Mas o mais inesperado aconteceu depois. Sem qualquer justificação, o gato começou a detectar os momentos em que a dona estava prestes a ter convulsões. "O Pickles tenta avisar-me quando os ataques vão acontecer e fica ao meu lado até sentir que estou segura", contou. Quando o gato arranha os móveis ou corre à volta dela fazendo barulho, ela deita-se no chão e espera que a convulsão passe. 

PÚBLICO -
Foto

Residente em Kidbrooke, Londres, Kim ja mencionou o episódio aos médicos. Sobre a capacidade de os cães detectarem odores químicos eles já ouviram falar, sobre gatos, disseram-lhe, nada conhecem. Mas para a dona de Pickles não são necessárias mais confirmações. Para ela, Pickles "é um pouco como um cão-guia".

Sugerir correcção