O sucessor de Daniel Craig como James Bond "não vai ser quem se espera"

Tom Hiddleston, Idris Elba, Jamie Bell? É uma discussão inútil, argumenta Sam Mendes, o realizador dos dois últimos episódios da saga 007: "Isto não é uma democracia".

Foto
Daniel Craig, que assumiu o papel de James Bond em 2006, está fora da corrida

Tom Hiddleston foi visto a almoçar com Barbara Broccoli, a produtora que viu em Daniel Craig o homem certo para suceder a Pierce Brosnan como James Bond? Provavelmente estamos na pista errada, diz Sam Mendes, o realizador dos dois últimos episódios da saga do agente do MI6: "O próximo 007 não vai ser quem vocês esperam."

E assim prossegue o debate mais palpitante da indústria do cinema, que nas últimas semanas se intensificou com os rumores de que Hiddleston estaria efectivamente perto de ficar com o papel que desde 2006 é de Daniel Craig. Ainda na passada sexta-feira, o site de cinema Birth.Movies.Death revelou que, de acordo com "fontes próximas" do actor britânico, este estará em "negociações avançadas" para ser o próximo James Bond, embora não lhe tenha ainda sido feita "uma oferta concreta". De resto, a sua recente encarnação como Jonathan Pine, o agente infiltrado de O Gerente da Noite – adaptação do romance homónimo de John Le Carré –, parece torná-lo um candidato ainda mais sério à corrida. Craig, que já assinou com o realizador Steven Soderbergh para protagonizar o seu próximo filme, Logan Lucky, está definitivamente fora.

Sam Mendes, que no ano passado fechou com 007 Spectre a sua dupla contribuição para a saga James Bond iniciada em 2012 com 007 Skyfall, também está fora (tem até já um próximo filme anunciado, The Voyeur's Motel, a partir do polémico artigo homónimo que o jornalista e escritor Gay Talese publicou em Abril deste ano na revista New Yorker). Mas mesmo assim não se coibiu de complicar a discussão este fim-de-semana, a partir do País de Gales, onde foi um dos convidados de mais uma edição do Hay Festival, conta o diário londrino The Telegraph: "Há um debate contínuo na imprensa acerca de quem vai ser o novo Bond. A verdade, e aqui está o título, é: isto não é uma democracia. Não é o X-Factor, não é o referendo à União Europeia, não é uma eleição. É a Barbara Broccoli que escolhe quem vai ser o novo James Bond, ponto final." E Broccoli sendo Broccoli, acrescentou, não vai ser quem se espera. "É nisso que ela é brilhante e é assim que [o franchise] vai sobreviver."

Além de Hiddleston, têm sido apontados como potenciais 007 os actores Idris Elba (protagonista do filme da Netflix Beasts of No Nation), Damian Lewis (da série televisiva Segurança Nacional), Aidan Turner (O HobbitOs Tudors) e Jamie Bell (Billy ElliotKing KongAs Aventuras de Tintin). Paralelamente, discute-se, muito no espírito do tempo, e pós-Óscares 2016, se não estará na altura de o novo James Bond ser gay, negro, mulher ou até tudo ao mesmo tempo.

Inútil ou não, a discussão vai continuar. Antes, durante e sobretudo depois de se saber quem é de facto o próximo 007.