Sabe o que é “cloud” ou “streaming”? Muitos só fingem que sabem

Inquérito mostra que Portugal é o país onde o termo “tablet” é mais familiar. Só 2% fingem saber o que é.

O novo Windows é a resposta da Microsoft ao desafio dos tablets
Foto
Nós, portugueses, é mais tablets, conclui o estudo Tech Habits David McNew/Reuters

"Cloud”, “streaming” e “Internet das Coisas” são os termos mais incompreendidos a nível europeu, segundo os resultados de um inquérito online a mais de 10 mil pessoas de 18 países, incluindo Portugal, realizado para a Samsung. Portugal destaca-se neste trabalho chamado Tech Habits (hábitos de tecnologia), surgindo como o país onde mais se reconhece o tablet. Só 2% dos portugueses tiveram de fingir que sabiam de que dispositivo se tratava, enquanto a média europeia dos que disfarçam este dado é de 7%. “Nós é mais tablets”, conclui o resumo estudo para Portugal.

Apesar de a tecnologia estar cada vez mais presente nas nossas vidas, há muitas pessoas que não sabem o significado de alguns termos. Muitas vezes, a solução é fingir. “Mais de metade das 10 mil pessoas inquiridas a nível europeu ficam entusiasmadas com as mais recentes inovações tecnológicas, tais como a 'cloud' ou a 'Internet of Things' [Internet das Coisas], mas quase três quartos (72%) admitem que, por vezes, fingem saber o significado dos termos utilizados”, conclui o inquérito Tech Habits. As respostas ao questionário online mostram que 19% dos europeus inquiridos já fingiu compreender o que significa “cloud” (nuvem); 16% já fingiu saber o que significa “streaming” e 15% fingiu conhecer o conceito “Internet of Things”. No caso português, conclui o inquérito, 61% dos inquiridos usa mais tecnologia em comparação com o que fazia há dois anos, sendo que 15% afirma que já não consegue viver sem tecnologia. “Mais de três quartos dos portugueses abrangidos no estudo sentem-se entusiasmados com as últimas inovações (77%) e 70% admite que, por vezes, finge saber o significado do jargão tecnológico que ouve”, refere o comunicado da Samsung que divulga os resultados do inquérito.

Apesar do desconhecimento de muitos, os portugueses são os que mais dominam alguns assuntos. São, por exemplo, os que melhor sabem o que é um tablet. Mas há mais. “Não é apenas nos tablets que os portugueses se destacam – apresentam também a percentagem mais baixa de desconhecimento relativamente às expressões bluetooth (4% vs 10% média europeia), wi-fi (4% vs. 10% de média europeia) e smart devices (5% vs. 9% de média europeia)”, revela o inquérito.

Na hora de fingir para disfarçar o desconhecimento, as respostas de acordo com as idades dos inquiridos são surpreendentes. “Contrariamente ao que seria de esperar são as gerações mais velhas que demonstram maior conforto com a tecnologia por si utilizada, versus a geração Millenial. De acordo com o estudo, 41% dos portugueses inquiridos com mais de 55 anos nunca sentiram a necessidade de mentir sobre o conhecimento de termos tecnológicos, contrastando com os 26% dos millennials inquiridos”, refere o estudo.

Inquiridos sobre as aplicações mais úteis e que têm maior impacto no seu dia-a-dia, 66% dos europeus escolheram as apps de mapas, seguindo-se as de previsão meteorológica (56%) e as câmaras de telefone (51%). “No caso português, as aplicações de mapas também ficam no primeiro lugar com 28% da população inquirida a afirmar que são as mais úteis; em segundo e terceiro lugar ficam as apps para a câmara do telefone (15%) e as aplicações de tradução (14%)”.

O Tech Habits tinha como objectivo perceber se houve mudanças ao nível dos hábitos e conhecimento tecnológico. Como resposta aos resultados do estudo, a Samsung criou o dicionário Tecnologia para Todos, que explica o significado de alguns dos termos tecnológicos mais desconhecidos. No topo 3 está a “cloud”, o “streaming” e a Internet das Coisas.

Top 3

A cloud: através de uma ligação à Internet, é possível aceder aos seus ficheiros pessoais e profissionais a partir de qualquer dispositivo – smartphone, tablet ou computador –, não sendo necessário ocupar memória interna do seu equipamento.

O streaming: serviço de transmissão de áudio e/ou vídeo em tempo real, acessível através de uma ligação à Internet.

 A Internet das Coisas: conjunto de equipamentos – smartphones, frigoríficos e até máquinas de lavar – ligados através de wi-fi (rede sem fios) que trabalham em conjunto para ajudar a tornar a sua utilização mais conveniente para o consumidor.