Há 13 candidatos a explorar jogo online

Primeira licença foi atribuída à Betclic. Serviço de inspecção de jogos do Turismo de Portugal diz que “a breve prazo” terá condições para emitir mais licenças.

Foto
A lei do jogo online entrou em vigor há um ano Paulo Pimenta

O Turismo de Portugal revelou, nesta quinta-feira, que há 13 candidaturas para obter licenças de exploração do jogo online a serem analisadas. A primeira licença foi atribuída na quarta-feira à Bem Operations, que opera com a marca Betclic, quase um ano depois de a lei que legaliza esta actividade ter entrado em vigor.

Em comunicado, o Serviço de Regulação e Inspecção de Jogos do Turismo de Portugal sublinha que os processos de candidatura estão a ser “tramitados”. “A breve prazo decerto teremos condições para emitir outras licenças”, refere.

“Estamos convictos de que este é um passo decisivo para que Portugal disponha de um mercado regulado, que ofereça efectivas condições de segurança a todos aqueles que, de forma equilibrada e com intuito lúdico, pretendam jogar”, comenta Teresa Monteiro, vice-presidente do Turismo de Portugal. A responsável acrescenta que as apostas online são uma “realidade incontornável, pelo que a regulação é a forma mais eficaz de garantir a prossecução de objectivos de interesse público que devem ser acautelados, como sejam proteger os menores e as pessoas mais vulneráveis, prevenir a fraude e o branqueamento de capitais, e salvaguardar a integridade do desporto, prevenindo e combatendo a viciação das apostas associada à manipulação dos resultados desportivos.”

A Betclic, a primeira empresa a obter licença, espera impor-se “entre os principais operadores em Portugal”. “Estamos muito orgulhosos por entrar no mercado português, um país onde temos uma forte reputação. Enquanto líderes do mercado francês de apostas online, abordamos este novo desafio com muita determinação e ambição”, disse, nesta quinta-feira, Isabelle Andres, presidente executiva do Betclic-Everest Group.