Colégios privados voltam a manifestar-se em Coimbra

Em Coimbra, oito dos nove colégios privados com contrato de associação são afectados pela medida governamental.

Fotogaleria
Os manifestantes esperaram por Costa antes da cerimónia de doutoramento honoris causa de António Guterres Sérgio Azenha
Fotogaleria
Os manifestantes esperaram por Costa antes da cerimónia de doutoramento honoris causa de António Guterres Sérgio Azenha

Vestidos de amarelo, cerca de 300 professores, encarregados de educação e alunos de colégios com contratos de associação aproveitaram a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do primeiro-ministro, António Costa, em Coimbra, para voltar a manifestar o desagrado com a decisão do Governo em não financiar turmas de início de ciclo nestas instituições.

Nas bermas da Rua Larga, que dá acesso à Universidade de Coimbra, os manifestantes cantaram o hino nacional mais do que uma vez, empunharam cartazes de protesto e entoaram palavras de ordem como “liberdade”, “igualdade” e “excelência”.

Aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa voltou a reforçar a mensagem de “paciência e espírito democrático” que já tinha referido no início da semana. O Presidente disse acreditar no “bom senso e aproximação de pontos de vista” e manifestou a “mesma esperança de há alguns dias atrás”. O antigo primeiro-ministro António Guterres falou na necessidade de “definir a educação como uma prioridade absoluta”, não se pronunciando sobre “questões de uma política concreta” e António Costa saiu de Coimbra sem prestar declarações.

Primeiro a chegar à cerimónia de doutoramento Honoris Causa de António Guterres, António Costa foi directamente para a Porta Férrea, tendo sido recebido com vaias, apupos e gritos de “covarde” pelos manifestantes. A viatura que transportava Marcelo Rebelo de Sousa chegou ao mesmo local poucos minutos depois, mas o chefe de Estado foi recebido de forma mais calorosa, com aplausos.

No concelho de Coimbra, oito dos nove colégios privados com contrato de associação são afectados pela medida governamental.