Fotografia

A construção costeira portuguesa revela desmazelo ou corrupção?

Ofir
Fotogaleria
Ofir

O fotógrafo Diogo Andrade percorreu toda a costa portuguesa, desde Caminha até Vila Real de Santo António, e trouxe consigo apenas os "postais feios". Construção sobre zonas protegidas ou de altura ilegal, indústria pesada instalada sobre os areais, vias de escoamento de resíduos a céu aberto, exemplos de planeamento urbanístico e paisagístico disfuncionais constam nas imagens do projecto que o fotógrafo ironicamente intitulou de "O Jardim". A Póvoa de Varzim, a Figueira da Foz e a Quarteira foram as cidades que, devido à elevada extensão e densidade habitacionais, o impressionaram mais negativamente. "Em termos de poluição ambiental, a refinaria de Leça da Palmeira e o Porto de Leixões, bem como toda a área do porto de Sines e São Torpes, são zonas em que se sente uma brisa marítima 'diferente'", ironiza. "Tudo poderia ter sido feito com mais critério e, sobretudo, com mais pensamento estratégico." Diogo aponta o dedo ao turismo, "sem demonizar", como um dos principais responsáveis pela "intensa mudança da costa portuguesa" das últimas décadas, mas não isenta de culpa a população, que alimentou o forte desejo de "comprar ou arrendar uns metros quadrados à beira mar". "'O Jardim' não é um projecto de denúncia", elucida o fotógrafo, "mas sim de investigação sobre as escolhas erradas que foram feitas ao nível de desenvolvimento urbanístico e gestão do território, seja por parte do Estado, do poder local ou do cidadão individual". "As decisões relacionadas com a gestão do território são nucleares", salienta. "Elas condicionam, de maneira mais ou menos intensa, a vida das populações e o estado de saúde do ambiente em que estão imersas. Se o território é uma das nossas principais riquezas, como gostamos de apregoar, devia ser nossa obrigação defendê-lo e preservá-lo da melhor maneira possível, numa perspectiva de longo prazo." O jovem fotógrafo e documentarista é natural de Sintra, mas reside em Milão, Itália. A distância não é, nem será, motivo para deixar de fotografar Portugal. "Portugal é o meu país. É o país o que conheço melhor, que estudei melhor e, consequentemente, aquele sobre o qual tenho mais a dizer." Ana Marques Maia

Cascais
Apúlia
Buarcos
Amorosa
Porto Novo
Colares
Mindelo
Vagueira
Lavos
Leça da Palmeira
Matosinhos
Matosinhos
Sines
Póvoa do Varzim
Figueira da Foz
Ferragudo
Vilamoura
Monte Gordo
Monte Gordo
São Pedro de Moel
Areosa
Vila Praia de Âncora
Esmoriz
Peniche