No próximo sábado há funaná, fado e poesia na Mouraria

O bairro da Mouraria, em Lisboa, irá acolher espectáculos de música, cinema, dança e poesia. É mais um Tranpolim Gerador.

A iniciativa conta a sua quarta edição
Foto
A iniciativa está na sua quarta edição Carla Rosado/PÚBLICO

Este fim-de-semana, no sábado, as ruas da Mouraria acolhem dezenas de actividades culturais. No total, são mais de seis dezenas de iniciativas planeadas pela associação Gerador e que irão animar o bairro lisboeta. Num percurso “desde o famoso Largo da Severa, à Igreja da Nossa Senhora do Socorro, passando pelo Zé da Mouraria ou pelo Chinês Clandestino, até ao fantástico e secreto edifício da Inatel”, a organização do evento pretende colocar "a cultura a dar o salto". Entre concertos ao vivo, debates, visitas guiadas, fotografia, teatro, exposições de arte urbana, cinema e até declamação de poesia, há programas para todos os gostos e para todas as idades.

A partir das 15h e até às 24h, a Mouraria recebe mais de 150 artistas, do bairro “e do país inteiro”, contam os organizadores do projecto. Às 16h, por exemplo, há “Fado na Catedral”. Do fado para o kizomba, haverá um workshop de danças africanas, de danças de Bollywood e até um espectáculo de funaná. E se ainda não conhece todas as ruas da Mouraria, conte com visitas guiadas que prometem revelar os melhores segredos. Enquanto isso, na Igreja Nossa Senhora do Socorro, Carla Chambel, Vicente Alves do Ó e Filomena Cautela declamarão poesia e, pelas 20h, JP Simões actuará no Largo João do Outeiro.

Para além de tudo isto, a Mouraria recebe ainda barraquinhas para dinamizar o comércio local, contadores de histórias, um concurso de bandas, uma mostra de duas curtas de cinema e uma intervenção de arte urbana. Para acompanhar toda esta oferta cultural, poderá experimentar os vários pratos disponíveis, petiscos vegetarianos e até aprender a cozinhar um “verdadeiro risotto italiano”. 

Depois de temas como “A Origem”, “A Palavra” e “voar com os pés assentes no chão” é a vez de a “Cultura portuguesa a dar o salto”, o mote que inspira esta edição. O projecto promove autores e entidades ligadas à cultura portuguesa, “quer venham da arte, do cinema, da literatura ou da banda desenhada, dos costumes populares e dos ofícios, já que todos definem o que é ser português”.

“O Bairro da Mouraria é a maior expressão da diversidade cultural na cidade de Lisboa e, por isso, a casa perfeita para receber tantas iniciativas culturais”, justifica Miguel Bica, um dos responsáveis pelo Gerador, a associação que está por detrás da organização deste evento. O Trampolim Gerador é um projecto que começou em 2015 e já conta com quatro edições.