Ministério abre 218 vagas para médicos

Vagas são para especialidades hospitalares e de saúde pública carenciadas.

A situação é condenada pelos sindicatos médicos, que, ainda assim, não se mostram surpreendidos
Foto
O ministério pede "urgência" na colocação destes médicos Enric Vives-Rubio

O Ministério da Saúde abriu 218 vagas nos serviços e estabelecimentos hospitalares e nas áreas de saúde pública considerados carenciados para médicos que concluíram a formação especializada na 2.ª época de 2015. Das especialidades identificadas como carenciadas, a que possui um maior número de vagas é a Medicina Interna (37), seguindo-se a Pediatria Médica (22), Ginecologia/Obstetrícia (18), Cirurgia Geral (10) e Oncologia Médica (10).

Considerando a "urgência" em colocar estes médicos, num despacho publicado esta sexta-feira, são dadas instruções às Administrações Regionais de Saúde para, "num prazo máximo de um dia útil, deliberar no sentido de ser autorizada a abertura dos procedimentos de selecção". A deliberação deve ser comunicada de imediato à Administração Central do Sistema de Saúde, "acompanhada da identificação dos trabalhadores médicos que, por especialidade, integram o júri correspondente".

Os concursos de selecção, acrescenta-se, devem estar concluídos "no prazo máximo de 60 dias seguidos, a contar da data da publicação do aviso de abertura dos procedimentos de selecção".

No despacho explica-se que estes recrutamentos visam contribuir, "em termos decisivos, para minimizar as actuais assimetrias de acesso e cobertura de natureza regional, as quais ainda são notórias em muitas especialidades".