Dona do Casino Estoril volta aos lucros cinco anos depois

Grupo Estoril Sol teve resultados líquidos de 4,1 milhões de euros, o que não acontecia desde 2010.

Grupo Estoril-Sol explora três dos quatro maiores casinos de Portugal
Foto
Grupo Estoril-Sol explora três dos quatro maiores casinos de Portugal Cláudia Andrade

Os resultados anuais divulgados nesta sexta-feira pelo grupo Estoril Sol, dono dos maiores casinos do país, confirmam as previsões: 2015 ficou marcado “pelo fim da quebra das receitas de jogo” e por um regresso aos lucros,que chegaram aos 4,1 milhões de euros depois de cinco anos de prejuízos.

No relatório publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a empresa que gere o Casino de Lisboa e o Casino Estoril revela que as receitas brutas cresceram 8,4% para mais de 182,5 milhões de euros. Deduzidas de Imposto Especial de Jogo, traduziram-se em 87,1 milhões de euros. No ano passado, o EBITDA (lucros antes de impostos, juros e amortizações) cresceu 15,4% para 29,9 milhões de euros.

As receitas obtidas com outras actividades oferecidas pelos casinos – como restauração e animação – cresceram quase 42% para 10,6 milhões, não só devido ao aumento do volume de jogo (mais jogadores, mais potenciais consumidores das ofertas complementares dos casinos), mas também pelo reforço que tem sido feito nas actividades de lazer, uma forma usada nos últimos anos para tentar compensar a quebra das receitas com o jogo.

“A recuperação recente do consumo interno e rendimento das famílias ocorrida em 2015 permitiu que pela primeira vez em sete anos, as taxas de crescimento das receitas de jogo apresentassem valores positivos”, descreve a empresa. Em termos gerais, o sector do jogo de fortuna e azar teve uma taxa de crescimento de 8% e a indústria gerou receitas na ordem dos 288 milhões de euros. “Ainda assim, as perdas acumuladas de receita nos últimos sete anos ascendem a aproximadamente 25% e equivalem a valores da ordem dos 100 milhões de euros”, salienta a Estoril Sol.

A dona do Casino de Lisboa espera por uma “recuperação gradual e contínua” este ano. O Grupo Estoril-Sol explora três dos quatro maiores casinos de Portugal e é responsável por 63% do volume de receitas e impostos pagos e gerados pela actividade de jogo.