Fotogaleria
Casa E/C, na ilha açoriana do Pico Paulo Catrica
Fotogaleria
Centro de Artes Contemporâneas — Arquipélago, na ilha de São Miguel, nos Açores José Campos

Arquitectura: quatro projectos portugueses na bienal ibero-americana

Os projectos nacionais fazem parte de uma lista de 26 obras seleccionadas, provenientes de toda a América Latina, Portugal e Espanha

Quatro projectos portugueses, entre os quais dois construídos nos Açores, foram selecionados pelo júri da décima bienal Iberoamericana de Arquitectura e Urbanismo (BIAU), indo agora ser expostos em Julho, em São Paulo, no Brasil. De acordo com o sítio da BIAU, os projetos nacionais fazem parte de uma lista de 26 obras selecionadas, entre 1.111 apresentadas a concurso, provenientes de toda a América Latina, Portugal e Espanha.

No caso dos projectos nacionais foram seleccionados o Centro de Artes Contemporâneas — Arquipélago, no concelho da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel, da responsabilidade do ateliê “Menos é Mais” e do arquitecto João Mendes Ribeiro, bem como uma moradia construída na ilha do Pico, da responsabilidade do gabinete SAMI-Arquitectos.

As outras duas obras portuguesas seleccionadas são da responsabilidade dos arquitectos Manuel e Francisco Aires Mateus, designadamente a sede corporativa da EDP, em Lisboa, e a Casa no Tempo, em Montemor-o-Novo. A casa E/C, na ilha do Pico, já tinha sido nomeada em 2015 para o maior prémio europeu de arquitectura, o “Mies van der Rohe Award”, tratando-se de uma habitação de férias localizada em São Miguel Arcanjo, concelho de São Roque do Pico, tendo surgido da necessidade de manter uma ruína, que lhe deu origem.

PÚBLICO -
Foto
Sede corporativa da EDP, em Lisboa, dos arquitectos Aires Mateus Rui Gaudêncio

A dupla de arquitectos portugueses Manuel e Francisco Aires Mateus venceu, em 2015, o concurso internacional para criar dois museus, em Lausanne, na Suíça — o museu da fotografia de Elysée e o museu de design e arte contemporânea (Mudac).

No ano anterior, o ateliê Aires Mateus vencera igualmente o concurso internacional para o projecto da Faculdade de Arquitectura de Tournai, na Bélgica. No passado dia 12, a edição deste ano da BIAU, comissariada pelos arquitectos espanhóis Ângela Garcia de Paredes e Ignacio Pedroso, distinguiu ainda o arquitecto Eduardo Souto de Moura, com o prémio carreira, a par de Álvaro Puntoni.

A BIAU é uma iniciativa do Governo de Espanha, em colaboração com diversas instituições ibero-americanas, sendo agora celebrada na cidade de São Paulo, em Julho de 2016, com um programa académico de actividades, que incluirá a apresentação dos trabalhos selecionados nas diversas categorias, uma série de conferências, palestras especializadas e debates.