"Tinha de decidir se queria ser aluno do Colégio Militar ou homossexual"

Pedro deu o primeiro beijo a um colega do Colégio Militar numa visita de estudo ao Alentejo. Tinha 15 anos. Aos 10, quando entrou para a instituição, percebeu que a homossexualidade era vista como um acto criminoso. Era um código não escrito mas ensinado aos estudantes. “Um código onde roubar, drogar-se e ser homossexual eram três actos imperdoáveis”, contou ao PÚBLICO. 

Pedro tinha de decidir se iria ser aluno do Colégio Militar ou homossexual. Naquela altura, escolheu ser aluno. Agora, quis contar a sua história porque acredita que a instituição militar deve mudar: integrar e não expulsar. Este é um testemunho na primeira pessoa que o PÚBLICO ilustrou.

(Nota: a voz da narração não corresponde à voz de Pedro Varela de Matos)

Sugerir correcção