Fotografia

Reuters vence Pulitzer com imagens que não deveriam existir

Fotogaleria

São "fotografias arrebatadoras, cada uma com a sua própria voz, que seguem os migrantes refugiados por centenas de milhas através de fronteiras incertas para destinos desconhecidos". É com estas palavras que, no site oficial, o Prémio Pulitzer apresenta a cobertura fotográfica da crise dos refugiados feita pela agência Reuters, distinguida com o prestigiado prémio na categoria "Breaking News Photography", ex-aequo com quatro fotógrafos do "New York Times". E a verdade é que nenhuma destas fotos deveria existir. Esta segunda-feira foram anunciados os importantes prémios da Universidade de Columbia que chegaram este ano à 100.ª edição. Entre os distinguidos, estão, entre outros, a Associated Press, o "Los Angeles Times" e a "New Yorker". O Pulitzer de Jornalismo de Investigação coube a Leonora LaPeter Anton e a Anthony Cormier, do jornal "Tampa Bay Times", e a Michael Braga, do "Sarasota Herald-Tribune", que trabalharam em conjunto para revelar, em Novembro e Janeiro últimos, casos de violência e negligência em hospitais psiquiátricos da Florida. Lê o artigo completo no PÚBLICO.