Jogo sobre a "vida escondida nos solos" adaptado para português

Destinado ao público infantil, o objectivo é descobrir organismos escondidos na terra.

Fotogaleria
Paulo Ricca/Arquivo
Fotogaleria
Exemplares das cartas do jogo francês DR
Fotogaleria
A equipa da Universidade de Coimbra responsável pela tradução DR

Dois investigadores do Centro de Ecologia Funcional da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) traduziram e adaptaram para português o jogo de cartas "A vida escondida nos solos".

Destinado ao público infantil e com regras semelhantes ao "jogo do peixinho" ou ao "jogo da pesca", no "A vida escondida nos solos", os jogadores são transportados para “o fantástico mundo secreto debaixo dos pés, permitindo descobrir os organismos escondidos que habitam o solo, como vivem e como são estudados”.

Traduzido e adaptado, a partir da versão original francesa, por Sara Mendes e José Paulo Sousa, o jogo tem como objectivo “sensibilizar as camadas mais jovens para a importância do solo e a sua biodiversidade”.

Os dois investigadores da FCTUC melhoraram "a informação científica" e adaptaram "a linguagem para este público específico”, explica José Paulo Sousa, citado numa nota da Universidade de Coimbra, divulgada nesta terça-feira.

O solo é um dos temas do programa curricular do 2.º ciclo e, por isso, "A vida escondida nos solos"’ pretende ser “uma ferramenta pedagógica para os professores de Ciências Naturais”. Trata-se de “uma forma de leccionar o conteúdo científico de forma mais lúdica” e de “torná-lo mais acessível, para que os alunos possam aprender a brincar”, sustenta Sara Mendes.

A produção foi efectuada em parceria com a Porto Editora, que, a partir da próxima semana, vai distribuir o jogo pelos professores do 2.º ciclo de Ciências Naturais de todas as escolas do ensino básico do 2.º e 3.º ciclos do país, adianta a UC.