Andy_Graf/Pixabay
Foto
Andy_Graf/Pixabay

Megafone

3Pês: alguns “tugas” em disco, em palco e sugestões

Promo, Palco e Pista: os 3Pês de António Barroso. Estas são as suas sugestões musicais para este fim-de-semana

Consagrados de Coimbra, de Lisboa e do Porto em palco e em disco. Sem piratagem, descargas gratuitas em dois dos links no texto abaixo. Paisagens do Canadá, psicadelismos variados e o regresso, por mão alheia, da bela (ela mesmo e a sua voz) Hope Sandoval.

Promo

Antecipando a saída (8 de Abril) do quarto álbum de originais de Sean Riley & The Slowriders, a banda de Coimbra já meteu no "tubo" o seu primeiro single, “Dili”, que pode ser descarregado gratuitamente e com um simples clique no botão direito do rato e "gravar como/save as". A banda de Coimbra regressa aos discos após quase cinco anos, depois de “It’s Been a Long Night”, de 2011.

Outra proposta da semana é “Human Performance”, dos nova-iorquinos Parquet Courts (aka Parkay Quarts), o quinto LP desde 2011, do qual se destaca “Dust”, um tema com todo o contexto hipnótico-balançante em forma de resumo de todo o trabalho desta gente até ao momento.

Também de Nova Iorque, os Psychic Ills preparam-se para editar (3 Junho) o seu quinto disco e já podemos desfrutar de um belíssimo "aperitivo", não apenas pela sua rudeza melódica a atirar para outras pradarias norte-americanas, mas porque apresenta “I Don’t Mind” em lânguida parceria vocal com Hope Sandoval (Mazzy Star), que canta, sussurra e geme numa espécie de hábito que nunca cansa.

Também com uma mão cheia de longa-durações e de um pouco mais a norte, do Canadá, o recente (há um par de meses cá fora) “A Coliseum Complex Museum”, de The Besnard Lakes é proposta para quem gosta de "shoegaze" e "post-rock", pela feérica amostra "Necronomicon".

Por fim, e inteirinho de borla, “Plastic Hippie”, dos Black Market Karma, para uma sugestão mais psicadélica e robusta. Na mesma página podem encontrar indicações para descarregar os restantes trabalhos da banda, que anda por cá desde 2012.

Palco

Os portuenses Malcontent actuam sexta-feira (dia 1, 22h) no Sabotage, em Lisboa, e é concerto que promete muito "noise", "feedback" e "rifalhada" para temas de “Love The Gun” (2009), “Erased” (2012) e “Riot Sound Effects” (2014), sabendo nós que a banda de Sérgio Costa (guitarra/voz), Filipe Pereira (bateria) e Jorge Oliveira (baixo) anda para aí a forjar novos temas. No mesmo palco e na mesma noite, há espaço para os Alma Mater Society, banda de Lisboa que recria e refaz ambientes "post-punk", de gratas influências dos 80 mais “escuros” dessa década.

No sábado, na Casa da Música, no Porto, actuam, em conjunto, os Dead Combo e as Cordas de Má Fama, com os primeiros em versão acústica e os segundos a dar-lhes tons de violoncelo, viola de arco e violino (21h30, sala Suggia).

Pista

Agora de orelhas nas pistas de dança, sexta é noite de aniversário dos Maus Hábitos, no Porto, espaço de intervenção cultural, onde há sempre espaço para as ondas mais alternativas, e que sopra 15 velas, sendo este o primeiro de três dias de festa com concertos, dj sets, performances diversas e exposições.

Na mesma noite, em Braga, no Convento do Carmo, a dj Tigra (Mariana Lopes aka Ldl) debitará uma selecção multigénero, do "rock’n’roll" ao "indie" e do "funk"! ao r&b. Noutra pista do mesmo espaço minhoto, soará um "dj set" de Nave Mãe (Francisco Mendes) e Lukkas, para ondas mais electrónicas (underground, house e techno).

No sábado (dia 2), há Kraak dj-set no Roterdão, em Lisboa, para uma noitada sem rótulos, do "pop-rock" mais alternativo à "synthpop" e electrónica.

No Porto, na mesma noite, Lil Louis, conhecido como “Founding Father of House Music”, vai encher a pista da Indústria Club. O dj e músico de Chicago, que começou a misturar aos em 1974, com 12 anos, é o responsável por um dos grandes hits da década de 90 — “French Kiss” —, mas surge como um dos responsáveis pela reviravolta nas pistas de dança ainda na década de 80, quando o r&b e o disco reinavam.