Petição exige lei que proíba carroças de circular na estrada

Em pleno século XXI, alegam 4600 subscritores, “não é eticamente aceitável qualquer tipo de escravidão animal”.

Os peticionários falam de “desumanidade” sobre os animais
Foto
Os peticionários falam de “desumanidade” sobre os animais Paulo Pimenta (arquivo)

Uma petição assinada por 4600 amigos dos animais reclama a proibição de veículos de tracção animal na via pública. Os subscritores do documento, entregue nesta terça-feira na Assembleia da República, dizem-se “seriamente incomodados” com os episódios que mostram “animais extremamente debilitados, notoriamente subnutridos, suportando veículos em excesso de peso”. Em pleno século XXI, alegam, “não é eticamente aceitável qualquer tipo de escravidão animal”.

O primeiro peticionário, André Pimpão, justificou ao PÚBLICO a iniciativa com o facto de se sentir chocado com a “desumanidade” com que vê algumas pessoas tratarem os animais. Na localidade onde vive, próximo de Faro, diz que esta é uma situação frequente. Por outro lado, considera que estas práticas dão do país um retrato quase medieval. “A imagem de Portugal e dos portugueses é severamente lesada, prejudicando assim o turismo e respectiva economia.”

O documento, entregue ao vice-presidente da Assembleia da República, José Manuel Pureza, destaca ainda o vazio legislativo nesta área dos veículos de tracção animal: “Não estão homologados, sinalizados ou segurados para circular na via pública”, enfatiza o documento. A falta de regulamentação, diz André Pimpão, faz com que as autoridades policiais não disponham de instrumentos para actuar, em termos de segurança rodoviária. “Todos conhecem os inúmeros acidentes envolvendo estes veículos, alguns com vítimas mortais”, acrescenta.   

Sugerir correcção