Pelo menos 21 portugueses feridos nas explosões de Bruxelas

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas não consegue para já precisar o número de portugueses feridos. Para já fala de 19 a 21 mas lembra que podem ser menos ou até mais. E lembra que não há ainda uma lista oficial com as identidades dos mortos.

Foto
REUTERS/Charles Platiau

Pelo menos 21 cidadãos com passaporte português ficaram feridos no duplo atentado terrorista de terça-feira em Bruxelas, disse nesta terça-feira à Lusa o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas. No entanto, à SIC, José Luís Carneiro explicou que esta informação não é ainda clara, uma vez que existem nesta lista três nomes que podem ser repetidos. 

De acordo com o secretário de Estado, o número de portugueses identificados estará entre os 19 e os 21. Destes, seis terão sido observados logo após os atentados e terão tido ferimentos ligeiros. Cerca de 13 continuam em observação, precisa à televisão de Carnaxide. José Luís Carneiro acrescenta ainda que poderão existir outros portugueses entre os mais de 200 feridos dos atentados na capital belga, explicando que poderá ser difícil conseguir identificá-los a todos – se estes passaram pelos pontos de socorro e não ficaram internados poderá não haver um registo. 

José Luís Carneiro destaca ainda que não há para já uma lista oficial dos mortos e, por isso, estas informações podem sofrer alterações ao longo do dia. A secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas está a acompanhar a situação e durante o dia vai tentar contactar estes portgueses já identificados para conhecer melhor a sua situação – que tipo de ferimentos e onde estavam no momento dos atentados, por exemplo.

Logo após os atentados de Bruxelas, enquanto os números das vítimas não eram ainda claros, soube-se que havia uma portuguesa de 30 anos entre os feridos. A mulher, enfermeira, estaria na estação de metro de Maalbeek quando a explosão aconteceu e teve alta no próprio dia. 

Ainda na terça-feira à noite, Pedro Rubio, conselheiro das comunidades portuguesas partilhou na sua página de Facebook a informação de que um segundo português também tinha sido afectado pelos ataques. Pedro Pinto, de 27 anos, estava na estação de metro quando tudo aconteceu. 

O conselheiro das comunidades portuguesas partilhou a publicação que Pedro Pinto, de Santa Marta de Penaguião, em Vila Real, deixou no seu Facebook a agradecer todas as mensagens de preocupação. Nessa publicação, o português garante estar bem mas revela que perdeu a audição no ouvido direito, além de ter uma dor num pé. Vai permanecer no hospital ainda durante quatro dias.

 

 

 

Sugerir correcção