Morreu Andrew S. Grove, "o pai de Silicon Valley"

Menos mediático que Bill Gates ou Steve Jobs, o ex-patrão da Intel teve um contributo de impacto equivalente no desenvolvimento e massificação da informática. O seu estilo de gestão fez escola no sector tecnológico.

Andrew S. Grove numa imagem de arquivo datada de 2000
Foto
Andrew S. Grove numa imagem de arquivo datada de 2000 Mario Tama/AFP

O antigo presidente da Intel Andrew S. Grove, um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento da indústria dos microprocessadores e, consequentemente, da computação pessoal, morreu nesta segunda-feira. Tinha 79 anos. Segundo um representante da família Grove citado pelo New York Times, a causa da morte ainda não foi estabelecida. No entanto, era público que sofria da doença de Parkinson.

Apesar de menos mediático que o fundador da Microsoft Bill Gates ou que o histórico líder da Apple, Steve Jobs, a Grove era atribuído um contributo fulcral para a massificação dos computadores pessoais. Na presidência da Intel de 1979 a 1998, o gestor liderou o esforço de desenvolvimento de microprocessadores e chips de memória entretanto tornados omnipresentes nos computadores, telemóveis, câmaras fotográficas e outros produtos electrónicos.

Nascido András István Gróf em 1936, em Budapeste, na Hungria, o filho de uma família judia de classe média sobreviveu ao Holocausto e à ditadura pró-soviética e fugiu para os EUA no final dos anos 1950. Chegou a Nova Iorque como refugiado, sem meios financeiros e com sequelas de graves problemas de saúde sofridos durante a infância. No entanto, conseguiu prosseguir estudos na área da engenharia química até completar um doutoramento em Berkeley, na Califórnia.

Um dos primeiros funcionários da Intel, fundada em 1968, Grove trabalhou enquanto engenheiro na pesquisa e desenvolvimento de semicondutores e microprocessadores. Com uma reconhecida aptidão para a gestão, o húngaro naturalizado norte-americano chegou à presidência da empresa em 1979, estabelecendo uma posição dominante para a Intel no mercado dos microprocessadores, conquistando por exemplo a exclusividade nos computadores da IBM.

O modelo de gestão e de organização do trabalho de Grove na Intel, onde mantinha uma liderança musculada, fez escola no sector tecnológico. David B. Yoffie, professor da Harvard Business School, considerava o empresário “o pai de Silicon Valley”. Entre as características adoptadas por muitas empresas do sector contam-se as estruturas organizacionais não hierárquicas e a abolição do cubículo em favor de espaços de trabalho abertos – os chamados open spaces

Em 1997, a revista Time elegeu Grove como personalidade do ano pelo referido impacto no mundo da gestão e do sector tecnológico. No início do novo século, e já afectado pela doença de Parkinson, o antigo patrão da Intel abandonou as funções que mantinha na empresa e limitou as aparições em público. Após o anúncio da sua morte, continua a ser recordado como “um dos maiores empreendedores do século XX”, como escreveu Bill Gates no Twitter.