Estrondosa vitória da equipa Oman Air

Equipa da casa vence 50% das regatas em Omã e garante o troféu no 1.º acto do circuito Extreme Sailing Series.

Fotogaleria
O Oman Air em alta velocidade Lloyd Images
Fotogaleria
Os festejos da tripulação do Oman Air Lloyd Images
Fotogaleria
O China One em acção Lloyd Images
Fotogaleria
O Sail Portugal, quase a capotar Lloyd Images
Fotogaleria
A equipa do SAP em destaque Lloyd Images
Fotogaleria
A presença colectiva no pódio final Lloyd Images

A equipa comandada pelo skipper americano Morgan Larson, líder do Oman Air, arrebatou o primeiro troféu da temporada do circuito Extreme Sailing Series em Omã, depois de ter dominado a frota em 50% das regatas disputadas, um feito sem paralelo nos dez anos de história do circuito.

A veterana tripulação com Pete Greenhalgh, James Wierzbowski, Ed Smyth e o velejador omanita Nasse Al Mashari não só mostrou destreza no manejo dos novos catamarãs GC32 com foils como uma mestria táctica no campo de regata. “Foi uma semana incrível em Omã, nosso porto de origem, e navegámos no nosso mais alto nível, por isso vai ser difícil melhorar a nossa performance a partir daqui. Sabemos que as demais equipas ainda estão a aprender a dominar o novo catamarã mas elas vão aprender e vão estar nos nossos calcanhares nos próximos eventos, por isso de precisamos melhorar ainda mais”, comentou Larson, 43 anos, ex-táctico da equipa suíça Alinghi, vencedora da temporada 2014.

O último dia de regatas em Mascate contou com as melhores condições de vento, que permitiram aos catamarãs GC32 voarem sobre os foils a velocidades incríveis. Quatro equipas – SAP Extreme Sailing Team, Land Rover BAR Academy, Alinghi e Red Bull Sailing Team - estavam na pole position para os demais lugares no pódio e por um instante pareceu que os dinamarqueses do SAP Extreme Sailing tinham a liderança, mas um erro na rondagem de uma das bóias - uma falha na manobra da vela gennaker - quase atirou à água o proa português Renato Conde.

“Estamos decepcionados neste momento. Estivemos em segundo lugar durante toda a semana de regatas. Hoje largámos à frente, liderávamos a frota e de repente errámos a rota e pensámos que estávamos a seguir para a meta enquanto ainda havia mais uma volta a dar no campo de regatas. Foi um erro crasso”, admitiu o co-skipper Jes Gram-Hansen, explicando que a equipa passou para o quinto lugar na classificação geral.


Com isto, a veterana dupla olímpica austríaca Roman Hagara e Hans Peter Steinacher, do Red Bull Sailing Team, que iniciou o dia em quinto lugar, garantiu duas vitórias, especialmente na última prova que somava pontuação a dobrar, o que correspondeu ao segundo lugar na classificação geral. “Foi um dia bastante difícil. Começámos bem mas a decisão ficou para a última regata e foi assim que conquistámos o segundo lugar”, contou Hagara.

Os jovens ingleses da Land Rover BAR Academy, orientados pelo célebre skipper inglês Leigh McMillan no leme, assumiram o terceiro posto na tabela geral, um resultado notável para uma equipa estreante no circuito, que conseguiu até ficar à frente do veterano suíço Alinghi.

“Estou feliz com a conquista de um lugar no pódio para esta jovem equipa logo no primeiro evento em que participa. Sendo uma equipa nova, cujos tripulantes nunca tinham velejado um multicasco com foils, penso que é um resultado fantástico”, afirmou McMillan, que agora reassume funções na campanha de Ben Ainslie para a 35.ª America’s Cup.

Quanto aos também estreantes portugueses do Sail Portugal, com Diogo Cayolla como skipper, o resultado foi o último lugar, apesar de a equipa ter alcançado um segundo posto na sexta-feira e ter registado um breve protagonismo neste sábado, durante uma arriscada manobra de rondagem de bóia, durante a qual o catamarã se elevou no ar, ficando com apenas 20% da superfície de um dos cascos em contacto com a água.

As 19 regatas disputadas durante os quatro dias de competição em Omã contaram com condições variadas de vento e mar, o que proporcionou diferentes performances da frota. O director do evento, Andy Tourell, declarou que a mudança para os catamarãs GC32 foi a maior transição na história do circuito e Mascate apresentou condições perfeitas para as provas.

Agora, as equipas preparam-se para o próximo acto, em Qingdao, China, entre 29 de Abril e 2 de Maio. Daí seguem-se eventos em Cardiff, Inglaterra (23 a 26 de Junho), Hamburgo, Alemanha (28 a 31 de Julho), São Petersburgo, Rússia (1 a 4 de Setembro), Istambul, Turquia (22 a 25 de Setembro), Lisboa, Portugal (6 a 9 de Outubro) e Sydney, Austrália (8 a 1 de Dezembro).

Classificação geral – 1.º acto (Omã)

1. Oman Air – Morgan Larson - 217 pts
2. Red Bull Sailing Team – Roman Hagara - 184 pts
3. Land Rover BAR Academy –  Bleddy Môn -175 pts
4. Alinghi – Ernesto Bertarelli - 172 pts
5. SAP Extreme Sailing Team –  Jes Gram-Hansen - 166 pts
6. China One – Taylor Canfield - 153 pts
7. Team Turx – Edhem Dirvana - 140 pts
8. Sail Portugal – Diogo Cayolla – 138 pts

PÚBLICO -
Foto