Fotogaleria
Fotogaleria
DR

Daniel Eime inaugura primeira mostra a solo em Portugal

Estarão expostas "cinco pinturas novas e uma instalação, criadas especialmente para esta exposição"

O artista urbano Daniel Eime inaugura, este sábado, dia 19 de Março, no Porto a sua primeira exposição individual em Portugal, "Move", composta inteiramente por trabalhos novos, contou o próprio à agência Lusa.

Nesta mostra, Daniel Eime procura "desmembrar, um pouco mais afincadamente, o que tem sido o mote para as suas criações, que no fundo se resume ao rosto, mas, nesta nova fase, de uma forma menos destacada, em que linhas completas ou cortadas interrompem e ocultam as pessoas que representa", lê-se na apresentação de "Move".

Ao todo estarão expostas "cinco pinturas novas e uma instalação, criadas especialmente para esta exposição", "todas elas sobre telas de madeira, incluindo a instalação, embora acrescente um objecto reflector", disse à Lusa.

Os rostos são sempre feitos com "stencil", "mas os elementos envolventes são criados à mão, num estilo livre, sempre com base num projecto digital, que basicamente é o ponto de arranque para todos os trabalhos".

"Move" estará patente na Galeria-Atelier Metamorfose, até 30 de Abril. Em Abril, Daniel Eime vai participar no projecto "Forgotten", que se desenvolve em locais "esquecidos" do centro de Roma. O artista português "oferecerá uma oportunidade de reflexão através dos seus refinados "stencils" de papel sobre os mercados municipais que perderam o seu lugar central relativamente ao bairro, sucumbindo às grandes cadeias de distribuição alimentar", através de uma intervenção no mercado Guido Reni, no bairro Flaminio.

Daniel Eime é o quinto português a participar no projecto da capital italiana, que culminará em Abril com uma exposição no Museu de Arte Contemporânea de Roma (MACRO).

Foi nas Caldas da Rainha, onde nasceu, em 1986, que Daniel Eime entrou no mundo do "graffiti". Entretanto mudou-se para Lisboa onde estudou tudo o que está relacionado com os bastidores do Cinema e Teatro (cenografia, figurinos, luz, som) e, do "graffiti" "puro e duro", passou para os "stickers" (autocolantes) e os posters, começando a dada altura a trabalhar com 'stencil'. Actualmente Daniel Eime vive e trabalha no Porto. Foi com o recurso ao "stencil" que pintou, por exemplo, o rosto do fadista Carlos do Carmo e da poetisa Sophia de Mello Breyner Andresen, no bairro da Graça, em Lisboa.