Manuel Godinho condenado pela terceira vez

Caso Face Oculta começou a ser julgado em 2013.

Foto
Manuel Godinho Adriano Miranda

O Tribunal de Aveiro condenou nesta quinta-feira a penas de prisão efectivas o sucateiro Manuel Godinho e um vigilante da natureza que tinham sido absolvidos de um crime de corrupção num primeiro julgamento, por falta de provas.

Esta é a terceira condenação do sucateiro de Ovar, que no processo Face Oculta foi sancionado com uma pena de 17 anos e meio de cadeia e num segundo julgamento foi condenado a dois anos e meio.

O caso começou a ser julgado em 2013 e, um ano depois, na sequência de um recurso do Ministério Público (MP), a Relação do Porto mandou repetir o julgamento.


 

Sugerir correcção