Netflix começa a ter cinema português no seu catálogo

É o Amor e Portugal – Um Dia de Cada Vez, de João Canijo, e É Na Terra Não é Na Lua, de Gonçalo Tocha, são os primeiros títulos portugueses a integrarem o serviço de streaming.

Anabela Moreira em <i>É o Amor</i>
Foto
Anabela Moreira em É o Amor DR

A oferta ainda é pouca mas a promessa é a de que cresça todos os meses. O cinema português chegou ao Netflix com dois filmes de João Canijo e um de Gonçalo Tocha. Há ainda duas telenovelas, um telefilme e uma série, adquiridos pelo serviço de streaming à SIC.

João Canijo é o realizador português que se repete nesta oferta inicial. É o Amor, que acompanha um grupo de mulheres das Caxinas, muitas delas casadas com pescadores, com Anabela Moreira a transformar-se também ela numa mulher da zona, e Portugal – Um Dia de Cada Vez, documentário realizado a meias com Moreira, sobre a pesquisa da actriz no Norte do país para Ámen, a nova longa-metragem, que começa a ser filmada na próxima semana, são os dois filmes de Canijo que inauguram a representação portuguesa no catálogo.

Disponível também está É na Terra Não É na Lua, o documentário de Gonçalo Tocha, sobre a ilha do Corvo, nos Açores, e que em 2011 conquistou o DocLisboa. Numa conversa informal com jornalistas, Yenia Zaba, directora de comunicação do Netflix para a Europa, revelou que em breve mais filmes e documentários portugueses vão estar disponíveis. “Não posso revelar ainda nomes porque não está tudo fechado”, disse, explicando que estão a acontecer conversas com os canais portugueses para que mais conteúdos possam entrar para o Netflix. Para já, apenas estão disponíveis produções da SIC.

Além dos filmes de Canijo e Tocha, a Netflix adquiriu à SIC a telenovela Rosa Fogo, exibida no canal de Carnaxide 2012 e 2013. Criada por Patrícia Muller e produzida pela SP televisão, a novela tem como protagonistas Cláudia Vieira, Rogério Samora e José Fidalgo, e a acção passa-se entre a Argentina e a região Oeste, com a trama centrada na família Mayer, proprietária de um império farmacêutico. José da Maia (Rogério Samora) engendrou um plano para se apropriar da fortuna da família, que passa pela contratação de Diogo Martins (José Fidalgo) para seduzir Maria Azevedo Mayer (Cláudia Vieira). Esta telenovela foi em 2013 nomeada para os Emmys Internacionais.

A telenovela juvenil Lua Vermelha, exibida em 2010 e inspirada na saga Crepúsculo, também está disponível. Protagonizada por Mafalda Luís de Castro e Rui Porto Nunes conta a história de um amor atribulado entre uma jovem estudante e um vampiro.

Mais recente é Sal, a série de oito episódios na qual João Manzarra, César Mourão, Rui Unas e Salvador Martinha fazem de si próprios numa viagem até Cabo Verde onde tudo acontece. A produção, com argumento de João Quadros e Frederico Pombares, estreou em 2014 mas as audiências ficaram, na altura, abaixo das expectativas do canal.

Por fim, a história do amor proibido de Teresa (Ana Padrão), uma médica de 35 anos com uma vida afectiva frustrada, que regressa à vila onde nasceu e conhece Miguel (Diogo Morgado), filho adolescente daquela que fora em tempos a sua melhor amiga, Paula (Maria João Abreu), integra também o leque de novidades do Netflix. Falamos de Amo-Te Teresa, o primeiro telefilme português produzido pela SIC.

“Todos os meses existirão novidades”, garantiu a responsável, contando que novos títulos serão acrescentados. No entanto, Zaba lembra que ainda vai levar algum tempo até o catálogo português crescer substancialmente, quando comparando com a oferta noutros países onde o Netflix existe há mais tempo. “Só quando estamos realmente nos países é que percebemos os comportamentos das pessoas”, explicou, revelando que Portugal foi uma surpresa para a empresa.

“Tínhamos as expectativas altas mas a verdade é que a adesão portuguesa superou”, acrescentou, sem revelar quaisquer números, como já é habitual no Netflix. Sobre as produções com maior sucesso por cá, a resposta é quase imediata: Narcos, a série em que o brasileio Wagner Moura é o traficante Pablo Escobar.

Yenia Zaba destaca, no entanto, como os comportamentos no serviço de streaming não variam muito de país para país. Narcos é um sucesso cá, como é nos restantes países onde está disponível, com a particularidade de ser especialmente bem-sucedida no Japão e na Finlândia, além de Portugal e Brasil.

Orange Is The New Black, Making a Murder e House of Cards, que entretanto ficou disponível em Portugal, são outras das séries mais vistas no Netflix.