Em Craiova, os adeptos não sabem por quem torcer

Um clube com três anos de existência reclama a herança de um outro do qual chegou a ser rival, mas que já não existe.

Dois empates sem golos nos dois jogos entre o CS U. e o FC U. na II Divisão romena
Foto
Dois empates sem golos nos dois jogos entre o CS U. e o FC U. na II Divisão romena DR

A rivalidade é um elemento fundamental na identidade de um adepto de futebol. Mesmo que muitos não o admitam, torcer por um clube e torcer contra outro são coisas, muitas vezes, indissociáveis. As rivalidades regionais são particularmente ferozes, especialmente entre clubes da mesma cidade e há muitas grandes cidades do futebol mundial com rivalidades que roçam a violência. Em Craiova, cidade do sul da Roménia, há uma estranha rivalidade entre dois clubes que têm quase o mesmo nome e usam as mesmas cores. Com uma particularidade. Um deles já não existe.

O Universidade de Craiova não será a maior referência do futebol da Roménia, mas pode (podia) ser considerado um clube de topo no país. Foi quatro vezes campeão nacional, conquistou seis vezes a Taça e chegou às meias-finais de uma Taça UEFA (o primeiro clube romeno a conseguir tal feito nas competições europeias), em 1982-83, eliminado então pelo Benfica — foram dois empates, 0-0 na Luz e 1-1 na Roménia. Não seria o clube mais protegido pelo regime de Nicolae Ceausescu, mas a queda do comunismo no país, em 1989, teve enorme impacto no que viria a ser o futuro do emblema de Craiova.

Os clubes deixaram de ser controlados pelo Estado e tiveram de ser privatizados. O Craiova manteve o nome, mas deixou de estar ligado à universidade, perdendo o seu carácter ecléctico e passando a dedicar-se apenas ao futebol. Deixou de ser um “Clubul Sportiv” (CS), passou a ser um “Fotbal Club” (FC) e seguiu-se a decadência desportiva e financeira pouco depois. Em 2004, o clube passa a ter um novo dono, Adrian Mititelu, um empresário da cidade, mas as glórias desportivas não regressaram.

O FC U. Craiova andou num sobe e desce até 2011, ano em que uma decisão conjunta da Federação e da Liga decide excluir o clube das competições profissionais devido a um conflito com um antigo treinador, Victor Piturca. O antigo avançado do Steaua, tinha sido despedido um ano antes e o clube não lhe queria pagar a indemnização. Com o impasse, as instituições do futebol romeno decidiram-se pela extinção do FC, decisão que foi ratificada em 2012.

Nessa altura, o clube estava na II Divisão e decidiu-se atribuir a vaga no campeonato a outra equipa da cidade. Com o apoio da autarquia local, a universidade de Craiova voltou a criar uma secção de futebol, que ficou com o nome de CS U. Craiova e que iria começar logo no segundo escalão. Em paralelo, uma investigação ao futebol romeno revelou a prática de corrupção ao nível das instâncias mais altas e o FC U. de Mitilelu conseguiu a anulação da decisão. Foi assim que se chegou às duas equipas com o mesmo nome, com as mesmas cores e com emblemas diferentes.

Documentário a caminho
Mas a história não fica por aqui, porque ambos os conjuntos iriam disputar a II Divisão do futebol romeno em 2013-14. Encontraram-se duas vezes perante multidões pintadas de azul e branco. Nenhum dos jogos teve golos. No fim dessa época, o CS U. conseguiu a promoção à I Divisão, o FC U. nem sequer chegou a terminar o campeonato porque a justiça romena decidiu restaurar a decisão de excluir o clube das competições, desta vez por motivos financeiros. Como único clube em actividade, o CS U. reclama para si a herança desportiva dos títulos conquistados pela equipa que tinha este nome entre 1948 (ano da fundação) e 1991 (ano em que se deu a privatização), mas os adeptos não parecem associar este clube ao antigo CS U., que era uma das equipas mais populares da Roménia.

Na presente temporada, o CS U. é o 11.º em 14 equipas no que diz respeito a médias de assistências nos jogos em casa (2489 espectadores por jogo), enquanto o FC U. em 2010-11, a sua última época na I Divisão, estava em segundo (em 18 equipas) nesta classificação (10.529 espectadores por jogo) e isto numa temporada em que desceu de divisão. Há um site (não muito actualizado) feito por um grupo de adeptos do FC U. que não aceita o “roubo” de identidade do clube e vende merchandising (uma camisola oficial para a época 2015-16, da Adidas, custa 45 euros), com a esperança de voltar a ter clube por quem torcer.

Um último pormenor. Parte da informação deste artigo foi recolhida num blogue extraordinário de João Roberge, estudante brasileiro de jornalismo de Florianópolis, o “O Craiovano”, que funcionou entre Julho de 2013 e Agosto de 2015, com artigos quase diários sobre o futebol de Craiova e da Roménia. A sua dedicação foi tal que Roberge aprendeu a falar romeno e decidiu fazer como trabalho final do seu curso de jornalismo um documentário sobre o futebol de Craiova, para o qual esteve três meses na cidade. “Craiova vs Craiova” só vai estar pronto em Junho. Mas já há trailer.

Planisférico é uma rubrica semanal sobre histórias de futebol e campeonatos periféricos