Alexandros Avramidis/Reuters
Foto
Alexandros Avramidis/Reuters

O que pode o design fazer pelos refugiados? Há 50 mil euros para quem descobrir

Concurso da Ikea Foundation, do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados e da plataforma holandesa What Design Can Do For You tem 50 mil euros para financiar cinco soluções inovadoras para a integração de refugiados

Contribuir com soluções inovadoras para a integração de refugiados em contexto urbano é o objectivo do concurso lançado por três entidades: a Ikea Foundation, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e a plataforma holandesa What Desing Can Do For You. A ideia é que designers e criativos de todo o mundo desenvolvam projectos que abordem este tema.

De acordo com o ACNUR, mais de 60% dos quase 20 milhões de refugiados de todo o mundo vive em áreas urbanas — e este é um número em constante crescimento. A integração e acomodação destas pessoas é um problema “demasiado complexo” para que governantes e organizações humanitárias o resolvam sozinhos. Em 2013, a empresa sueca de mobiliário anunciou a produção de um abrigo para refugiados, mais resistente do que as tendas tradicionais, também em parceria com o ACNUR.

Quase três anos depois, o desafio é tentar perceber o que pode o design fazer por estes milhões de pessoas. “O design é uma ferramenta fantástica para tornar as coisas melhores. Vamos usá-lo para algo mais do que apenas fazer coisas”, disse o responsável pelo design do Ikea, Marcus Engman, citado pela Ikea Foundation.

Os projectos devem abordar alguns dos problemas que os refugiados enfrentam — desde alojamento, integração ou desenvolvimento pessoal —, não existindo limites ou enquadramento na aplicação prática do design.

As inscrições para o concurso de ideias estão abertas até 1 de Maio e as cinco soluções vencedoras serão apresentadas a 1 de Julho, em Amesterdão. Cada um dos projectos pode receber até 10 mil euros em financiamento, bem como “apoio especializado para tornar as suas ideias em planos viáveis e protótipos funcionais”, lê-se no site da Ikea Foundation.