Câmara de Aveiro anuncia extinção da empresa Teatro Aveirense

A empresa proprietária do Teatro Aveirense foi extinta na passada quinta-feira, deixando uma dívida de 350 mil euros.

O Teatro Aveirense está sem director artístico há já vários anos
Foto
Autarquia de Aveiro anuncia novo modelo de gestão cultural Paulo Ricca

A Câmara de Aveiro anunciou esta segunda-feira a extinção da empresa proprietária do Teatro Aveirense, com uma dívida de 350 mil euros, a assumir pela autarquia, que a conta liquidar através do Fundo de Apoio Municipal.

De acordo com uma nota informativa da Câmara, a escritura de extinção da empresa Teatro Aveirense teve lugar na quinta-feira, sendo a primeira das empresas municipais a ser extinta, conforme determinação legal e compromisso político assumido.

Com a extinção da empresa Teatro Aveirense, que havia sido deliberada pelo executivo há cerca de um ano, a Câmara Municipal de Aveiro assume a dívida existente de 350 mil euros, “que será liquidada pela assistência financeira do Fundo de Apoio Municipal”, pendente ainda do visto do Tribunal de Contas ao Programa de Ajustamento Municipal.

O Teatro Aveirense foi construído por subscrição pública, tendo sido criada então uma sociedade com o capital disseminado por vários particulares.

A Câmara de Aveiro veio a adquirir a totalidade do capital dessa empresa que, uma vez agora extinta, faz com que a autarquia se torne directamente proprietária daquela casa de espectáculos.

A par da extinção da empresa municipal, o executivo municipal anuncia que vai ser implantado um novo modelo de gestão cultural, para o que contratou José Ribeiro de Pina, que desempenhava funções no Centro Cultural de Ílhavo, o qual deverá entrar em funções dia 01 de Março, como novo gestor cultural.

As outras empresas municipais, a Estádio Municipal de Aveiro (EMA), Teatro Aveirense (TEMA), MoveAveiro e AveiroExpo deverão igualmente ser dissolvidas, “prosseguindo as tramitações formais para a completa extinção e implementação dos Planos de Internalização” na Câmara de Aveiro.

A sua integração na gestão municipal e optimização dos recursos disponíveis é considerada pelo executivo “uma componente muito importante da reestruturação organizacional e financeira em curso na Câmara Municipal de Aveiro e no seu Universo de Entidades Municipais, aumentando a sustentabilidade técnica e financeira, e a qualidade dos serviços prestados”.