WhatsApp e Gmail atingem mil milhões de utilizadores mensais

Em termos estatísticos, isto significa que a aplicação WhatsApp e o serviço Gmail são usados por cerca de um sétimo da população mundial.

O vírus permite controlar um telemóvel ou smartphone à distância sem que o utilizador saiba
Fotogaleria
WhatsApp é a terceira funcionalidade do Facebook a ultrapassar a barreira, Gmail é sétimo da Google Maria João Gala
Fotogaleria
O logo do WhatsApp reflectido no olho de uma pessoa REUTERS/Dado Ruvic

Tanto a aplicação de comunicação WhatsApp, adquirida pelo Facebook, como o serviço de correio electrónico Gmail, da Google, divulgaram esta segunda-feira terem ultrapassado a marca significativa dos mil milhões de utilizadores activos mensais. Os anúncios, feitos com poucas horas de intervalo, já eram esperados há algum tempo visto o crescimento visível de ambos serviços.

No caso do WhatsApp, foi Mark Zuckerberg, CEO do Facebook – que comprou o serviço por 17,4 mil milhões de euros em 2014 – quem partilhou a notícia através da sua própria página pessoal. Na publicação, pode-se ler que “a comunidade do WhatsApp mais do que duplicou desde que se juntou ao Facebook”, assim como elogios aos fundadores da app, Jan Koum e Brian Acton. "Existem apenas alguns serviços no mundo que juntam mais de mil milhões de pessoas”, escreveu Mark Zuckerberg. Juntando-se à própria rede e ao Groups, o Facebook tem agora três.

Ainda no mesmo comunicado, o fundador da maior rede social do mundo atribuiu parte deste feito ao facto de o WhatsApp ter abandonado o seu sistema de subscrições, que requeria a utilizadores com mais de um ano de serviço o pagamento de uma mensalidade, no passado dia 16 de Janeiro, tornando assim a aplicação completamente gratuita. Na altura, a empresa também tinha afirmado que não seriam introduzidas publicidades como fonte alternativa de rendimento, afastando os receios dos utilizadores.

De facto, embora sejam poucos os serviços a agregar mais de mil milhões de utilizadores activos mensais, a Google já tem experiência nesta área. O Gmail, criado em 2004, é, na realidade, apenas o sétimo serviço oferecido pela marca a atingir esse valor, depois do Android – e, subsequentemente, o Google Play – , o navegador Chrome, o Maps, o YouTube, e a Pesquisa (Search).

O anúncio de que o Gmail se juntou a este clube de elite foi feito pelo próprio CEO da Google, Sundar Pichai, aquando da divulgação do relatório sobre os lucros do último trimestre de 2015. Para justificar esse desenvolvimento, o CEO apontou o aumento da popularidade do serviço, assim como o rápido crescimento dos serviços móveis como possíveis razões. Da última vez que a Google tinha mencionado números do Gmail, tinha sido divulgado que 75% dos seus utilizadores usavam-no através de um dispositivo móvel.

Esta evolução é particularmente impressionante tendo em consideração que, no ano de 2012, o Gmail tinha uma base de utilizadores de 425 milhões de utilizadores, pelo que o seu crescimento nos últimos três anos realizou-se a uma velocidade fulgurante.

Este alcance atingido tanto pelos serviços do Facebook como da Google demonstram que a era digital veio fomentar esta crescente conectividade entre as pessoas e aumentar a comunicação entre pessoas de todo o mundo. Actualmente, o WhatsApp é utilizado tanto em países desenvolvidos como em países em desenvolvimento, onde até já vem pré-instalado em smartphones.

Texto editado por Hugo Daniel Sousa