Fotogaleria
A aplicação está disponível para smartphones com sistema operativo Android DR
Fotogaleria
Pixabay

Aluno do Politécnico da Guarda cria "roadbook" para "smartphones"

Nuno Martins, estudante de mestrado em Computação Móvel, criou um "roadbook" electrónico que tanto pode ser usado por praticantes de desportos todo-o-terreno como para divulgação de património em percursos turísticos

Um aluno de mestrado em Computação Móvel do Instituto Politécnico da Guarda (IPG) concebeu um "roadbook" electrónico para dispositivos móveis Android, que substitui os tradicionais guias em papel e apresenta vantagens para os utilizadores. Nuno Martins contou à agência Lusa que o projecto "consiste numa aplicação 'roadbook' digital para dispositivos móveis Android, denominada de Naturepathfinder".

Um "roadbook" é, tradicionalmente, impresso em papel, mas "com os actuais avanços da computação móvel e dos dispositivos móveis, torna-se muito interessante e útil ter um 'roadbook' digital para 'smartphones' e 'tablets', com o objectivo de facilitar a elaboração das notas, aquando do reconhecimento do percurso, assim como assistir o utilizador no uso dessas mesmas notas aquando da navegação", justifica o responsável.

A ferramenta criada pelo aluno do IPG é composta por duas partes principais: "Criar Navegação" e "Navegar". A primeira parte "tem como objectivo permitir a criação dos 'roadbooks', recolhendo os dados necessários directamente no terreno, a partir do GPS do dispositivo móvel e permitindo também ao utilizador elaborar os desenhos das notas através de um editor gráfico". A segunda parte visa "ajudar o utilizador na navegação de um 'roadbook' já existente numa base de dados, apresentando as notas de forma automática sempre que detectar a proximidade de um cruzamento".

"Ainda durante a navegação de um 'roadbook', a aplicação Naturepathfinder avisa o utilizador caso considere que este está a cometer um erro de navegação e faz automaticamente a correcção da rota, guiando o utilizador de regresso ao caminho correcto, utilizando mapas 'online' ou uma seta indicadora da direcção a tomar", adianta Nuno Martins. O responsável indica que, "em qualquer uma das partes descritas, a aplicação Naturepathfinder utiliza uma filosofia de detecção de contextos, pois a todo momento a aplicação conhece as variáveis do ambiente onde se localiza e adapta as suas próprias acções e as acções que o utilizador pretende desencadear de acordo com as mudanças no meio envolvente".

Na elaboração do projecto foram utilizados "web services" para que "toda a informação recolhida para a criação dos 'roadbooks' seja armazenada numa base de dados SQLite e possa ser enviada para um servidor web onde ficará armazenada numa base de dados MySQL", informou. "O objectivo deste servidor é permitir a partilha dos 'roadbook' criados por todos os utilizadores da aplicação Naturepathfinder", concluiu.

A aplicação, que já está disponível, demorou cerca de um ano a ser desenvolvida, "sempre em regime de 'part-time'", segundo Nuno Martins. "A motivação principal que me levou a desenvolvê-la é a minha ligação com o mundo do todo-o-terreno onde usualmente se usam os 'roadbooks' tradicionais em papel para se percorrer uma determinada rota", justificou à Lusa.

No entanto, esclarece, "não se destina apenas a praticantes de todo-o-terreno e pode também ser utilizada por praticantes de BTT ou caminhada, podendo ser também usada para divulgação de património em percursos turísticos".