Morreu o chef Benoît Violier, que tinha três estrelas Michelin

Dirigia o restaurante do Hotel de Ville em Crisser, que ascendera ao número um de "A Lista". Foi encontrado morto em casa. Tinha 44 anos.

Foto
AFP

Tinha 44 anos e era considerado um dos maiores chefs do mundo — o franco-suíço Benoît Violier foi encontrado morto em casa neste domingo. Tinha 44 anos.

Dirigia, juntamente com a mulher, o restaurante com três estrelas Michelin do Hotel de Ville em Crisser (perto de Lausana, na Suíça), que acabara de ser elevado ao primeiro lugar de "A Lista", uma tabela com os mil melhores restaurantes do mundo.

O Guia Michelin, que esta segunda-feira lança o seu guia de restaurantes premiados para 2016, comentou a morte do chef, através da sua conta no Twitter: "Estamos chocados com a morte de Benoît Violier, um chef com imenso talento. A sua família e equipa estão no nosso pensamento."

Outros chefs famosos, franceses, reagiram à notícia. Marc Veyrat disse ter ficado "à deriva" com a notícia da morte de Violier, e Jean François Piège disse estar "profundamente triste" com a morte deste "grande chef".

A 12 de Dezembro, o restaurante do Hotel de Ville de Crisser relegou para segundo posto na tabela de "A Lista" o nova-iorquino Per Se, que também tem três estrelas Michelin e é dirigido por Thomas Keller. "É fabuloso, é fantástico para nós. Esta distinção vai estimular ainda mais a equipa", dissera Benoît Violier, que, juntamente com a mulher, Brigitte, estava à frente deste restaurante com 60 anos desde 2012.

A polícia está a averiguar as causas desta morte.