Crónica de jogo

Benfica volta a golear Moreirense e mantém distância para Sporting

Equipa de Moreira de Cónegos procurou emendar a fraca exibição para a Taça da Liga a meio da semana, mas o desfecho não foi muito diferente. Jonas foi a figura da partida com dois golos e uma assistência

Jonas
Foto
Jonas MIGUEL RIOPA/AFP

O Benfica dá-se definitivamente bem com os ares de Moreira de Cónegos, onde não ganhou apenas uma vez nas 18 visitas que já fez à vila minhota. As duas últimas foram particularmente profícuas para os “encarnados” que, no intervalo de cinco dias, apontaram 10 golos ao Moreirense. Depois da goleada para a Taça da Liga a meio da semana (6-1), a equipa de Rui Vitória regressou neste domingo para assinar novo triunfo gordo (4-1), agora para o campeonato, onde manteve os dois pontos de distância para o líder Sporting e os três de vantagem para o FC Porto.

Este foi também o 12.º triunfo do Benfica em jornadas consecutivas da Liga, numa campanha iniciada após a derrota caseira com os “leões” (3-0), à passagem da oitava ronda. A viverem o seu melhor ciclo desde o início da temporada, os “encarnados” trataram de resolver cedo o compromisso com o Moreirense, voltando Jonas a ser o elemento crucial da equipa, com mais dois golos e uma assistência para outro na sua contabilidade pessoal. Dando expressão ao intenso domínio dos visitantes nos minutos iniciais, o avançado brasileiro abriu o marcador, de cabeça, logo aos 16’, após um excelente cruzamento de Pizzi da direita.

PÚBLICO -
Foto

Determinado em apagar a má imagem deixada na Taça da Liga, o Moreirense procurou reagir e até equilibrou a luta no meio campo, com uma maior agressividade à perda de bola, conseguindo criar duas boas oportunidades para igualar (23’ e 39’), ambas desperdiçadas por Iuri Medeiros.

Mesmo baixando o ritmo de jogo, o Benfica não perdia o controlo da partida e, a dois minutos do descanso, outra boa iniciativa atacante culminou com o segundo golo. Destaque para um grande passe de Renato Sanches a rasgar a defesa adversária e a permitir um cruzamento em esforço de Eliseu que foi desviado para as redes minhotas pelo pé esquerdo de Mitroglou.

O segundo tempo começou com um novo susto de Iuri Medeiros (50’), com um remate cruzado ligeiramente ao lado. Mas os “encarnados” estavam pouco receptivos a permitir sobressaltos e, aos 67’, resolveram definitivamente o encontro. Bastou acelerar um pouco os processos para Pizzi e Jonas voltarem a destroçar a defesa minhota, com o brasileiro a tabelar com o português e a bisar. E oito minutos depois, também Nico Gaitán se quis associar à goleada, com um remate de trivela, a passe de Jonas, que não deu hipóteses ao guarda-redes Stefanovic.

Tal como na Taça da Liga, o incontornável Medeiros ainda conseguiu o golo de honra para os homens da casa, apontado já no período de descontos.