Mariana participou na Trienal de Arquitectura de Lisboa, em 2013 DR
Foto
Mariana participou na Trienal de Arquitectura de Lisboa, em 2013 DR

Curadora Mariana Pestana leva design ao Fórum de Davos

Doze projectos querem criar debate sobre o impacto de algumas tecnologias no futuro. Curadora é uma arquitecta portuguesa

Criar reflexão e debate sobre o impacto de certas técnicas e tecnologias no futuro. É este o objectivo da exposição de design, no Fórum Mundial Económico de Davos, que começa quarta-feira. "São 12 projectos que levantam questões sobre o design a várias escalas. Mostram modos como neste momento desenhamos e construímos a uma variedade de escalas e como se relacionam e levantam questões éticas sobre o mundo de amanhã", explicou a curadora portuguesa Mariana Pestana.

A exposição para Davos foi encomendada ao museu britânico Victoria & Albert, com a qual Mariana Pestana está actualmente a colaborar, na organização de uma mostra sobre o Futuro, programada para 2017. Um dos projectos é um trabalho da artista Heather Dewey-Hagborg que, a partir de amostras de cabelo e saliva, construiu um retrato de Chelsea Manning, o soldado norte-americano na origem do caso Wikileaks, que divulgou documentos secretos diplomáticos e militares. "É um retrato completamente realista, usando um processo usado pela polícia para gerar retratos de suspeitos, a partir de amostras de ADN. Mas levanta a questão sobre como conseguimos manipular informação a partir de rastos que deixamos", vincou Mariana Pestana. Em causa está também, acrescentou, a ética e a criatividade de quem gera retrato, já que a polícia introduz parâmetros que podem incluir género e etnia.

Outros elementos da exposição incluem um trabalho sobre a criação de artérias artificiais, processo que alude ao debate sobre a criação de órgãos artificiais, de roupas com painéis solares para produzir energia ou à possibilidade de produção de armas, através de impressoras de três dimensões, abrangendo temas como as mudanças climáticas, a segurança ou a vigilância.

"O contexto de Davos é interessante, porque as pessoas que decidem o mundo estão lá e esta é uma oportunidade de levar preocupações, perguntas e questões éticas que parecem importantes nesse contexto", afirmou Mariana Pestana. A exposição estará à entrada do centro de congressos, na estância de ski de Davos, na Suíça, que acolhe, até sábado, o evento que estima reunir mais de 2500 participantes de mais de cem países, incluindo empresários, políticos, académicos, membros da sociedade civil e agentes culturais.

Arquitecta de formação, Mariana Pestana  — com quem o P3 falou em 2014 —instalou-se em Londres, em 2008, para realizar um mestrado, tendo desde então participado em várias ações ligadas à arquitectura e design, sendo co-fundadora do colectivo The Decorators. Entre as exposições que programou recentemente conta-se a participação na Trienal de Arquitectura de Lisboa, em 2013, e no Festival de Design de Londres, em 2015.